Cumprindo as expectativas prévias ao confronto em Craven Cottage, o Manchester City venceu o Fulham sem grandes dificuldades, aplicando um massacre na primeira etapa, marcando os dois gols da vitória, e apenas administrando o resultado nos 45 minutos finais. Desde o princípio se formou um duelo de ataque contra defesa e apesar do amplo domínio, o City balançou a rede por duas vezes no erro do adversário.

O Fulham se posicionou completamente recuado, mas cedeu à marcação pressão. Com apenas cinco minutos, o Fulham tentou sair jogando por baixo, mas Mensah cometeu um erro primário ao tentar atravessar uma bola pelo meio próximo à grande área. Agüero recuperou a bola, tocou para Bernardo Silva, que apenas limpou a jogada para o arremate certeiro no canto direito do goleiro Sergio Rico.

O segundo gol saiu de maneira muito parecida. Em mais uma saída errada da defesa do Fulham, Bernardo Silva roubou a bola de Bryan, tocou para Agüero, que invadiu a área e marcou um lindo gol com um toque de muita categoria com o pé direito. O argentino chegou ao gol de número 228 com a camisa do City, marca que o iguala a Thierry Henry, que possui o mesmo número de gols pelo Arsenal.

Foi o 12º jogo consecutivo do Fulham sofrendo ao menos dois gols, algo que não acontecia no campeonato inglês desde 1977, quando o Newcastle passou por essa situação em 14 partidas seguidas. A equipe ainda tentou apresentar alguma resistência em lances de Sessegnon e Bryan, mas o jogo era todo do time de Guardiola. O City finalizou 18 vezes nos primeiros 45 minutos, melhor marca parcial de uma equipe em toda a temporada 18/19 da Premier League.

No segundo tempo, o City caiu de produção, apenas colocando o Fulham na roda. Os anfitriões ainda chegaram a criar algumas chances de diminuir, mas passaram a maior parte do tempo limitados a se fechar dentro da própria área defensiva. O principal destaque da etapa complementar foi o retorno de Fernandinho, que estava lesionado desde o final de fevereiro. Além disso, a vitória colocou o City novamente na liderança da Premier League, com 77 pontos contra 76 do Liverpool, e os mesmos 31 jogos, jogando toda a pressão para os reds, que enfrentam o Tottenham neste domingo.