Chegar a 10 vitórias seguidas não é uma marca fácil de ser alcançada. Para o Aston Villa levou mais de um século para se repetir e ultrapassar tal feito. A equipe comandada por Dean Smith venceu o Millwall por 1 a 0, conquistou a décima vitória consecutiva e garantiu com duas rodadas de antecedência um lugar nos play-offs de acesso da Championship.

A décima vitória não representa apenas a queda de um recorde de 1910, mas também uma recuperação inesperada do Aston Villa, que saiu de um décimo quinto lugar em outubro, quando o técnico Steve Bruce foi demitido, para seguir sonhando com a volta à Premier League. É bem verdade que por um bom tempo o Villa seguiu cambaleante mesmo com a troca de treinador, mas a saída de Jack Grealish do departamento médico e o faro goleador de Tammy Abraham, jogador emprestado pelo Chelsea, foram fundamentais para a sequência de vitórias. Contra o Millwall, o Villa não teria a presença do artilheiro, autor de 25 gols na temporada. Foi preciso, então, confiar no experiente atacante marfinense Jnnathan Kodija, que não atuava como titular há dois meses. Aos 30 minutos, o jogador apareceu na área para completar chute cruzado vindo da esquerda.

O técnico Dean Smith, que está apenas em seu terceiro trabalho no cargo, comemorou a marca. “É um grande e histórico clube e ser o primeiro treinador a atingir isso é especial, as nós queremos continuar isso. Meu foco continua em conseguir o acesso”, disse.

Por outro lado, o Millwall ficou em situação delicada após a derrota e está apenas uma posição acima da zona de rebaixamento, com três pontos de vantagem sobre o Roterham United, e uma partida a mais para jogar. O jovem técnico Neil Harris, de 41 anos, não escondeu a insatisfação com seus comandados. “Temos um lateral e perdemos o primeiro contato, a segunda bola. Deixamos de desarmar e abrimos para o Villa. O gol era evitável, então há frustração”, desabafou o comandante, que tem pela frente Stoke City e Bristol, em casa, e fecha a temporada fora de casa contra o Wigan.