Se a primeira semifinal da Copa da Liga Inglesa terminou com ampla vantagem para o Manchester City, a segunda ficou tudo igual, com o Aston Villa levemente mais feliz por ter empatado fora de casa. Sensação da temporada inglesa, o Leicester martelou o adversário o quanto conseguiu depois de sair perdendo por 1 a 0, mas alcançou apenas o empate no King Power Stadium e precisa resolver sua vida no Villa Park, no fim do mês.

Se parece impossível alcançar o Liverpool na Premier League, apesar de uma campanha que merece todos os elogios, a Copa da Liga representa uma grande oportunidade para o Leicester. Suas principais conquistas, antes da epopeia com Claudio Ranieri, vieram nela. E graças às particularidades do calendário do Liverpool nesta temporada, seu adversário na semifinal foi o Aston Villa, que passou pelos juniores dos Reds para chegar a esta fase – e, antes, havia eliminado equipes enfraquecidas de Brighto ne Wolverhampton.

Mas o time de Dean Smith mostrou valor no King Power. Mesmo bastante desfalcado, tendo perdido John McGinn, Wesley e Tom Heaton, machucados durante o período das festas, o Villa causou diversas complicações ao adversário, com a formação com três zagueiros que Smith vem utilizando. Rodgers espelhou o esquema com um trio de defensores e assistiu ao seu Leicester em um ritmo mais lento nos primeiros minutos.

Havia posse de bola, mas também dificuldade para criar. Por volta dos 15 minutos, começou a encaixar as jogadas. Ayoze Pérez bateu cruzado com perigo, James Maddison teve chute bloqueado, Evans cabeceou cobrança de falta para fora e Vardy escapou duas vezes, uma em cada lado da área. A primeira finalização bateu na parte de fora da rede, o outro foi bem bloqueado pelo goleiro Orjan Nyland.

No entanto, quando parecia que o gol do Leicester começava a ficar maduro, o Aston Villa respondeu. El Ghazi saiu do meio do ataque, onde estava improvisado, e cruzou para a segunda trave. Frédéric Guilbert antecipou-se e abriu o placar. O restante da etapa inicial mostrou um Leicester mais nervoso do que o normal em situações adversas. Konsa, de cabeça, quase ampliou, em saída em falso de Schmeichel, mas acabou acertando o travessão.

O Leicester melhorou depois do intervalo, finalizou mais e correu poucos riscos. Mas Konsa, Tyrone Mings e Kortney Hause fizeram uma grande partida e Orjan Nyland parou duas boas chances de James Maddison. Aos 29 minutos, Choudhoury, substituição de Rogers ao intervalo no lugar de Praet, que não estava conseguindo suprir à altura as qualidades de Ndidi, desfalque por lesão, bateu carteira no meio-campo e deixou com Vardy, que acionou Iheanacho. O atacante levou para a perna esquerda e empatou com um chute cruzado.

O resultado acabou sendo melhor para o Aston Villa, mas, pelas circunstâncias, não chega a ser um desastre para o Leicester. Até porque, o Villa tem três derrotas nas últimas cinco rodadas da Premier League no Villa Park, e as Raposas podem jogar melhor do que fizeram nesta quarta-feira.

.

.