O Aston Villa está de volta à primeira divisão do futebol inglês. Venceu a final dos playoffs da English Football League (EFL) contra o Derby County por 2 a 1 em Wembley, nesta segunda-feira. Assim, volta à principal divisão inglesa depois de quatro três anos do seu rebaixamento, em 2016. Quinto colocado na fase regular, o Villa foi mais time ao longo do jogo e consegue uma vitória valiosa. A rica primeira divisão permite que o clube, campeão europeu em 1982, tente novamente recuperar a sua grandeza em um futebol que é altamente competitivo no país.

A última vez que o time foi campeão inglês faz muito tempo, em 1981/82. Chegou a ser rebaixado, na temporada 1986/87, mas voltou no ano seguinte, em 1987/88. Era a última fez que o time tinha conquistado o acesso. Porque desde que subiu, daquela fez, ficou na primeira divisão e só foi rebaixado novamente depois de um longo período.

A queda foi em 2015/16, quando foi lanterna e acabou mudando até de proprietário. Ficou na segunda divisão duas temporadas sem conseguir subir. Na primeira, 13º; na segunda, 4º colocado, garantindo lugar nos playoffs. Venceu o Middlesbrough na semifinal, mas acabou derrotado pelo Fulham na final por 1 a 0. Os Cottagers subiram, mas caíram em seguida. Desta vez, o Villa chegou novamente à final do playoff e arrancou a vitória e o acesso.

Desde o começo do jogo, o Aston Villa conseguiu ser melhor em campo. Aos 44 minutos do primeiro tempo, o time de Birmingham conseguiu o seu gol. Cruzamento da direita de Ahmed El Mohamady para Anwar El Ghazi, que mergulhou e tentou o cabeceio. A bola bateu nele e entrou, abrindo o placar para o Villa.

Durante o primeiro tempo, o domínio do Villa foi maior, embora o Derby tenha conseguido equilibrar o jogo em alguns momentos. No segundo tempo, o Derby tentou mudar o jogo, mas foi atrapalhado por uma falha grosseira do goleiro Kelle Roos. Em um chute mascado de El Ghazi, o goleiro Roos saiu mal do gol e John McGinn tocou antes para o gol, marcando 2 a 1. Uma falha terrível que fez a missão do time ainda mais complicada.

O técnico Frank Lampard colocou o time no ataque. Colocou Jack Marriot, Martyn Waghorn e Florian Jozefzoon para tentar tornar o time mais efetivo no ataque. A vontade era grande, mas a efetividade era terrível. E foi na base do abafa que o time chegou ao seu gol, que o fez voltar ao jogo. Depois de cruzamento da esquerda, Jack Marriot ajeitou de cabeça para Martyn Waghorn, que finalizou no canto e diminuiu o placar para 2 a 1, aos 36 minutos.

Com o placar novamente a um gol de diferença, o jogo ficou uma loucura. O Derby foi para cima, pressionou na base do abafa, tentou cruzamentos e viu o Aston Villa ter que se segurar no fim do duelo. Foram 11 chutes a gol do Derby contra nove do Villa. Não deu para o Derby, que só acertou dois chutes no alvo – o Villa acertou três.

No fim, o apito final fez a torcida do Aston Villa explodir em comemoração, incluindo o príncipe William, que é torcedor notório do time e presidente simbólico da Football Association (FA). Foi uma festa no camarote de Wembley. O Villa, enorme em tradição e história, volta à Premier League. O Derby, apesar da boa campanha, fica na segundona, com um bom primeiro trabalho de Lampard, que certamente será mais bem visto na próxima temporada. Se Lampard fica pelo caminho, outro ídolo do Chelsea comemora: o ex-jogador John Terry, auxiliar técnico de Dean Smith no Villa.