A imprensa espanhola noticia nesta quarta-feira (7) que a validação das assinaturas pelo pedido de moção de censura contra Josep Maria Bartomeu, presidente do Barcelona, foi concluída. Agora, o mandatário deverá passar por uma votação para ter seu futuro no clube decidido.

Três semanas atrás, o pedido de moção de censura contra Bartomeu, presidente do Barcelona, iniciado em meio ao imbróglio com Lionel Messi, que havia anunciado sua vontade de deixar o clube, havia chegado a mais de 20 mil assinaturas, com o necessário sendo 16.521 (o equivalente a 15% dos membros do clube com direito de voto).

O próximo passo era validar os registros, e, nesta quarta-feira, o processo chegou ao número necessário de assinaturas validadas, 16.521. Com isso, o clube tem agora entre dez a 20 dias para realizar um referendo entre seus membros para decidir ou não pelo fim do mandato de Bartomeu como presidente do Barcelona.

Caso dois terços ou mais dos votantes sejam favoráveis à moção de censura, Bartomeu perderia qualquer função executiva no clube, e novas eleições precisariam ser convocadas.

De acordo com o Marca, crescem os rumores de que o presidente poderia entregar voluntariamente o cargo para evitar o processo. Vale lembrar que o próprio Bartomeu já tinha antecipado as eleições para março de 2021.

Bartomeu é apenas o terceiro presidente na história mais do que centenária do Barcelona a enfrentar um referendo de moção de censura. Josep Lluís Núñez, em 1997, e Joan Laporta, em 2008, foram os outros, sobrevivendo à votação.