Na última quarta-feira, a única conquista da Inglaterra em Copas do Mundo completou 48 anos. A data não é redonda, mas os ingleses têm plena consciência de que será muito difícil repetir o feito e, portanto, transformam em efeméride de qualquer jeito. E uma das melhores coisas publicadas por lá em celebração ao título foi essa perspectiva do Telegraph de como seria a repercussão do jogo no Twitter se no longínquo ano de 1966 houvesse redes sociais.

VEJA TAMBÉM: O gol mais polêmico da história das Copas completa 48 anos

A linha do tempo de comentários e postagens relacionadas à decisão com a Alemanha naquele 30 de julho de 1966 começa com um Jimmy Greaves frustrado por desfalcar os Three Lions na partida diante dos alemães. “Destruído por perder o jogo hoje, mas estou com vocês, garotos. Vamos, #ENG”, “tuita” o atacante, que viu seu substituto, Geoff Hurst, balançar a rede três vezes e virar herói.

Jimmy Greaves

Logo na sequência é possível ver uma foto postada pelo romancista Brian Glanville, chegando ao estádio de Wembley e já preocupado com o que os comandados de Alf Ramsey fariam para superar Beckenbauer e cia. Um jornalista da BBC então compartilha uma imagem com as escalações das duas equipes datilografadas.

03-Wolstenholme

Entre comentários de torcedores, tuíte de Ringo Starr e atualizações de perfis de jornais ingleses, é possível ver até um mapa de calor dos especialistas em dados do OptaJoe, mostrando a movimentação de Alan Ball, um dos destaques daquela decisão e atleta mais jovem do escrete inglês.

A cobertura segue com “vines” dos lances, retuíte irônico da FA em um comentário do Daily Mirror de que a Copa seria um fracasso, com o West Ham parabenizando e marcando seus jogadores, entre eles Bobby Moore, que termina postando uma foto com a Jules Rimet e conseguindo mais de 20 mil RTs. Não poderia faltar referência ao gol ilegal de Hurst e validado pelo árbitro Dienst Gottfried. O perfil do Bild reclama da falta da tecnologia da linha do gol, enquanto uma propaganda de óculos faz uma piadinha relacionada ao lance. Vale a pena conferir a “reconstituição” completa no próprio Telegraph.