Ásia/Oceania

Muita fortuna e muitos brasileiros

O Qatar, cravado no Golfo Pérsico, é um minúsculo território abundante em petróleo, e tem uma das ligas de futebol mais ricas e atraentes da Ásia. A Q-League, dirigida por excêntricos ‘Sheikhs’ capazes de bancar a vinda de incontáveis astros de renome internacional nos últimos tempos, terá sua 34ª edição envolvendo a maior quantidade de brasileiros na história.

Entre futebolistas e profissionais que compõem a comissão técnica dos 10 clubes da 1ª divisão, serão cerca de 56 profissionais tupiniquins – recorde absoluto na história.

Chama a atenção o investimento feito em técnicos canarinhos. Paulo Autuori, no Al Rayyan, Marcos Paquetá, no Al Gharrafa, e Zaluar, do Mesaimeer, são alguns nomes destacáveis. Isso sem falar em Jorvan Vieira, responsável pelo titulo asiático do Iraque, que quase acertou com o Al Sadd, atual campeão qatari. 

Apesar da tradição de clubes como o decadente Al Arabi, o instável Al Wakra, e o Al Khor, e de equipes em crescimento como Al Shamal e Mesaimeer, o favoritismo ainda compete a Al Sadd, Al Gharrafa, e Al Rayyan, sendo que Qatar SC (com excepcional elenco) e Umm Salal (em ascensão) tem totais condições de surpreender.

Confira o perfil das melhores equipes do país na atualidade e o que esperar delas na temporada 2007/8.

Al Sadd

Nome: Al Sadd Aports Club (em árabe, سد القطري)
Quem são eles?
Clube fundado por estudantes há 38 anos. Hoje, é o time mais bem
sucedido no futebol do Qatar em quase todos os aspectos. São os atuais campeões do país.
Estádio: Jassim Bin Hamad – 18 mil pessoas.
Técnico: Jacobson “Co” Adriaanse, holandês, 60 anos. Temperamental e frontal no trato com os jogadores. Vem de uma temporada morna no Metalurg Donetsk, da Ucrânia, depois de triunfar no Porto, e construir um belo time no AZ Alkmaar, da Holanda.

Antes de aceitar o desafio no Al Sadd, consultou Jorge Fossati, que treinou os lobos na última temporada e agora assumiu a seleção do país.
Principal jogador: Felipe, 30 anos, meio-campista. Produto das categorias de base do Vasco. É o melhor jogador em atividade no país. Passa, organiza, finta e decide jogos.O pausado futebol árabe é o habitat ideal para soltar suas qualidades. Foi o recordista de assistências da equipe na última edição.

A maior aposta: Mauro Zárate, 20 anos, astro-nascente argentino surgido nas ‘canchas’ de Buenos Aires e lapidado no laboratório do Vélez Sarsfield. Depois de conduzir a Argentina ao título Mundial sub-20, no Canadá, agora terá a responsabilidade de fazer a torcida dos ‘lobos’ esquecer o demolidor brasileiro Emerson, vendido ao Rennes, da França.

Muitos estranharam o fato do goleador de Haedo não ter ido para Europa, mas como seu próprio agente explicou. “Futebolisticamente não é o lugar ideal, mas dará segurança financeira para sua família”.

Síntese: Apostando no rigor da filosofia de trabalho do ‘linha-dura´ Co Adriaanse, treinador holandês, o Al Sadd espera permanecer como a principal potência nacional. Antes de acertar com o ex-treinador do Porto, o clube de Doha quase assinou com o brasileiro Jorvan Vieira, neo-campeão asiático pelo Iraque.

Embora tenha perdido o ótimo atacante Emerson, vendido ao Rennes, da França, o time da capital trouxe bons nomes como o argelino Dziri Billel e o promissor atacante argentino Mauro Zárate, que terá a árdua missão de fazer os fanáticos torcedores esquecerem o avançado tupiniquim.

A principal notícia também é a renovação de contrato do habilidoso meia Felipe, que era dado como certo seu retorno ao Brasil. Se ninguém no elenco bater de frente com Adriaanse, e a nova dupla Tenorio-Zárate funcionar, sendo abastecida por Felipe, vai ser difícil fazer os ‘lobos’ pararem de uivar no deserto.

Al Gharrafa

Nome do Clube: Al Gharrafa Sports Club (em árabe, الغرافة)
Quem são eles?
Antigo Al Ittihad, o clube de Doha é o único no país, na atualidade, capaz de ‘mostrar os dentes’ para o poderoso Al Sadd. Os petrodólares do excêntrico ‘Sheikh’ Hamad Bin Tamer Al Thani fez com que astros do quilate de Marcel Desailly, Wanchope, e Sonny Anderson já vestissem a camisa amarela e azul do atual vice-campeão qatari.

Estádio: Al Gharrafa Stadium – 25 mil pessoas.
Técnico: Marcos Paquetá, carioca de 48 anos. O responsável por conduzir a seleção brasileira sub-20 ao titulo mundial, em 2003, nos Emirados Arabes. Sempre atento e minucioso, não deixa ’cabos soltos’ e trabalha duro a parte tática. Depois do fracasso na seleção saudita e da perda do titulo nacional pelo Al Hilal, tenta reerguer sua carreira, e já ganhou a Jassim Cup, seu primeiro título pelo Al Gharrafa.

Principal jogador: Younis Mahmoud, 24 anos, atacante iraquiano. Artilheiro da Qatari League 2006/7, e da Copa da Ásia 2007, onde também foi campeão e eleito melhor jogador. Por pouco, não foi jogar no futebol francês. Para um jogador que atua na Ásia, vive um momento estratosférico na carreira.

A maior aposta: Araújo, 30 anos, atacante brasileiro. Assinou por dois anos vindo do Cruzeiro. Rápido e com considerável capacidade goleadora, o futebolista pernambucano arrasou na J-League em 2004 e 2005, e agora promete repetir o sucesso no mundo árabe. Formará um dos ataques mais implacáveis da Ásia ao lado do excelente Younis Mahmoud.

Síntese
Neo-campeões da tradicional Jassim Cup, torneio preparatório que antecede a Q-League, o Al Gharrafa aposta no técnico brasileiro Marcos Paquetá, ex-Arabia Saudita, para roubar o trono do Al Sadd, atual bicampeão nacional.

Com uma boa base de jogadores locais, sendo que alguns atuam na seleção do país, a grande força do plantel são as opções ofensivas.

Depois de perder o bom atacante do Bahrein, Ala´a Hubail, para o futebol do Kuwait, trouxe o brasileiro Araújo, do Cruzeiro, mantendo um alto nível de peças nos últimos metros do campo, onde o predador iraquiano Younis Mahmoud é referência.

Como pode trabalhar desde o inicio de uma temporada, e contando com equipamentos de primeiro mundo a disposição, Paquetá não terá desculpas se o clube dirigido pela milionária familia Al Thani não chegar, no mínimo, entre os três primeiros colocados.

Al Rayyan

Nome do Clube: Al Rayyan Sports Club (em árabe, نادي الريان)
Quem são eles?
É um dos clubes mais sólidos do Qatar. Coleciona bons resultados no vôlei, basquete, handball e até no tênis de mesa! No futebol, é uma das equipes que mais investem no país. O Al Rayyan é conhecido no Qatar como ‘O terrível’.

Estádio: Ahmed Bin Ali – 25 mil pessoas
Técnico: Paulo Autuori, 51 anos, brasileiro. Este é o 18º desafio na carreira do competente treinador carioca. Terá bons reforços a sua disposição e não será surpresa se conseguir ‘dar liga’ na equipe e morder os calcanhares de Al Sadd e Al Gharrafa.

Principal jogador: Waleed Jassem, 21 anos, meio-campista. Uma das grandes promessas da seleção do Qatar. Imaginativo, ousado e com personalidade para chamar a responsabilidade para si apesar da tenra idade. Com a saída de Sabri Lamouchi, será a referência no meio-campo do “Terrível”.

A maior aposta: Fumagalli, 29 anos, meia-atacante brasileiro. Veio do Sport para tentar triunfar no calor do Qatar, onde formará ao lado do também brasileiro Thiago, ex-São Paulo, uma das duplas mais habilidosas do Golfo. Se estiver em forma e motivado, pode desequilibrar muitas partidas.

Síntese
A saída da estrela Husain Yasser para o Sporting Braga, de Portugal, ainda é lamentada pelos torcedores do ‘Terrível’. O clube de Ar Rayyan, cidade com quase 300 mil habitantes, investiu pesado para trazer o treinador brasileiro Paulo Autuori, campeão mundial, em 2005, com o São Paulo.

Se conseguir entrosar rapidamente a equipe que mais injetou verba em reforços para temporada 2007/8, poderá facilmente engatar uma boa campanha e lutar palmo a palmo pelo título.

Qatar SC

Nome do Clube: Qatar Sports Club (em árabe, نادي قطر الرياضي‎)
Quem são eles?
Com quase 50 anos, é um dos clubes mais tradicionais do país, onde já alinharam astros como Cláudio Caniggia, e Marcel Desailly, além de figuras notáveis como o meia brasileiro Lima, ex-Roma. Possui seis títulos nacionais e o 4º maior estádio do Qatar.

Estádio: Qatar Stadium – 19 mil pessoas
Técnico: Dimitri Davidovic, 63 anos, sérvio naturalizado belga. O veterano treinador natural de Alexandrovac levou o Al Ittihad ao titulo saudita e voltou a estar bem-cotado no Oriente Médio depois de alguns anos esquecido. É adepto do 3-5-2 e tem grande capacidade de motivar seus jogadores em situações decisivas.

Principal jogador: Jay-Jay Okocha, 34 anos, meia-atacante nigeriano. Capaz de dribles estonteantes e sensacional habilidade na execução de jogadas rápidas. Se incutisse maior objetividade e rigor tático ao seu jogo teria feito história no futebol, pois foi uma das maiores jóias futebolísticas reveladas pelo mágico continente africano.

A maior aposta: Ali Karimi, 28 anos, meia-atacante iraniano. Depois da passagem frustrante pelo Bayern Munich, da Alemanha, (onde lhe faltou maior caráter para ‘agarrar’ as oportunidades que teve) volta ao Oriente Médio, onde foi considerado o melhor jogador do continente em 2004 e ganhou o apelido de ‘Maradona da Ásia’. Aceitou os 3 milhões oferecidos pelo ‘Sheikh’ Nasser Al Thani, e terá liberdade de retornar a Europa quando surgir alguma proposta que lhe agrade.

Síntese
Recheado de nomes conhecidos no cenário internacional, o Qatar SC reúne um elenco bastante interessante onde é destacável figuras do porte de Okocha e Ali Karimi.

Com um treinador experiente em dirigir equipes do Golfo, e contando com a fase extraordinária do artilheiro uruguaio naturalizado qatari Sebastian Quintana, o clube da capital deve fazer muito mais do que o modesto 6º lugar do campeonato passado. Pelo que conseguiu construir nesta pré-temporada em termos de reputação e reforços, menos que isso será considerado um desastre.

Umm Salal

Nome do Clube: Umm Salal Sports Club (em árabe, نادي ام صلال الرياضي)
Quem são eles?
Equipe do extremo-leste do país que surpreendeu na temporada passada ao terminar em 3º lugar. Tem quase três décadas de existência e deve crescer muito no cenário nacional nos próximos anos.

Estádio: Umm Salal Stadium
Técnico: Hamid Brimil, marroquino. Com um currículo modesto levou a equipe laranja a patamares elevados no Qatar e segue com crédito no comando.
Principal jogador: Ismael Sulaiman, 23 anos, atacante. Jogador da seleção do Omã.Tem pouca estatura, facilidade para perfurar defesas em velocidade e sentido de baliza.

A maior aposta: Sabri Lamouchi, 35 anos, volante francês. Mostrou que não veio ao Qatar apenas para capitalizar ainda mais a sua conta bancária. Mesmo atuando recuado, ficou entre os seis maiores goleadores na última temporada, atuando no Al Rayyan. Agora o ex-jogador de Mônaco, Internazionale e Parma, terá a missão de conduzir o emergente Umm Salal.

Síntese
Com uma equipe desacreditada e um elenco humilde, o clube laranja despontou como a grande revelação da temporada 2006/7, mas faltava estrangeiros de alto nível para fazer a diferença nos jogos.

Com a contratação do francês Sabri Lamouchi, espera-se que a equipe tenha uma referência para se apoiar e um líder capaz de conduzir e equilibrar a empolgação e a juventude do plantel.

Pelo futebol apresentado na edição passada e as poucas e conscientes mudanças elaboradas pela diretoria, o Umm Salal tem plenas condições de surpreender os gigantes do Qatar.

CURTAS

CHINA
– O experiente Zhu Guanghu não é mais o técnico da China. O sérvio Ratomir Dujkovic, ex-Gana, e que comanda o time olímpico chinês, é o favorito para o cargo. A China estréia dentro de um mês contra Myanmar pelas Eliminatórias da Copa de 2010, na África do Sul.

JAPÃO
– Com poucas mudanças em relação a Copa da Ásia, o técnico Ivica Osim convocou a seleção nacional que vai jogar os amistosos contra Áustria e Suíça, países-sede da próxima Eurocopa 2008. A grande novidade é o nome de Daisuke Matsui, meia do Le Mans, da França, chamado pela primeira vez desde que o treinador sérvio assumiu.

QUIRGUISTÃO
– O Abdysh-Ata é o campeão da Copa do Quirguistão. O clube de Kant, cidade há 20 quilômetros da capital Bishkek, ganhou seu 1º titulo em 7 anos de história.

INDIA
– Com espetacular média de 3,73 gols por jogo, a recém formada Nehru Cup, torneio disputado na humilde Nova Délhi, na Índia, teve como resultado o título dos anfitriões. Foram 13 dias de futebol onde os indianos bateram a Síria na final por 1 à 0, gol do zagueiro Pradeep. Os campeões receberam 100 mil dólares. Participaram também Bangladesh, Cambodja, e Quirguistão.

TAILÃNDIA
– Três jogadores tailandeses chegaram ao Manchester City para realizar testes, e o defensor Suree Sukha, 25 anos, foi o escolhido para se juntar ao elenco do City. É a primeira vez que um jogador tailandês jogará a Premier League inglesa.

ARABIA SAUDITA
– O lendário atacante Sami Al Jaber anunciou seu retiro do futebol. O veterano jogador de 34 anos estava planejando parar depois da Copa da Alemanha, ano passado, mas o ‘Sheikh’ Tarik Altuwaijri lhe convenceu a calçar as chuteiras por mais um ano. Sendo o primeiro jogador árabe a atuar na Premier League – em 2000/1 no Wolverhampton – o ‘9’ jogou quatro copas do mundo, contabilizando 163 jogos e 44 gols pela Arábia Saudita. Durante os 20 anos de carreira, com exceção da rápida passagem pela Inglaterra, sempre defendeu as cores do Al Hilal.

MALÁSIA
– Na 2ª edição do torneio Merdeka, os malaios ergueram o troféu ao bater Myanmar na final por 3 à 1. Os ‘tigres’ podem ficar um pouco mais satisfeitos com este titulo depois da campanha medonha na última Copa da Ásia, onde foi um dos países-sede.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo