Ásia/Oceania

Até a Coca-Cola já investe no futebol de Butão

Um dos países mais fechados do mundo, Butão se localiza no sul da Ásia, fazendo fronteira com China (norte) e Índia (sul, leste e oeste). Atualmente, apenas 53 países (mais a União Europeia) têm relações diplomáticas com os butaneses, dentre eles o Brasil, desde 2009 – nações geograficamente mais perto, como Bangladesh, Nepal e Índia, têm contato há mais tempo; os Estados Unidos e a Grã Bretanha não possuem embaixada no país, mas mantêm contato informal por meio das representações em Nova Déli (Índia).

Incipiente

Em comparação com os vizinhos, o futebol em Butão, país de 750 mil habitantes e com 63% da população economicamente ativa na agricultura, demorou a emplacar, mesmo tendo sido trazido por professores em 1950 – o esporte mais popular do país é o tiro com arco. Fundada em 1983, a federação organizou a primeira competição três anos depois, com dez times de departamentos estatais, como Royal Bhutan Police (polícia), Education, Health School (hospital) etc. O destaque foi o time do exército (Royal Bhutan Army), campeão de 1986 com 100% de aproveitamento em nove jogos.

A falta de informação é tamanha que não se conhecem os resultados entre 1987-95, que antecederam o início do amplo domínio do Druk Pol, o maior vencedor nacional, com oito conquistas. Entre 1996 e 2000, a equipe terminou no topo da tabela, perdendo a hegemonia para o Druk Star, o primeiro campeão sob o novo formato da liga.

A partir de 2001, criou-se a A Division, que reunia apenas times da capital Timphu, de 80 mil habitantes. A liga de Thimphu, que servia de campeonato nacional, passou a ser etapa qualificatória, com presença de equipes de outras regiões –  a maioria dos times era da capital. Com a filiação à Fifa, em 2000 – Butão já era membro da confederação asiática desde 1993 –, o país abandonou os antigos clubes ligados ao Estado e novas equipes foram criadas, além de mais duas divisões (B Division/2002 e C Division/2003), originando rebaixamento e promoção.

Experiência no exterior

Em 2005, o Transport United, então bicampeão nacional – acumula quatro troféus na história –, teve a honra de representar Butão na primeira edição da AFC Presidents Cup, espécie de terceira divisão dos torneios asiáticos, que reúne os países menos desenvolvidos do continente. É claro que não dava para disputar com Regar TadAZ (Tadjiquistão), Three Star Club (Nepal) e Taipower (Taiwan), mas é verdade que os butaneses devem ter comemorado, pois levaram apenas uma goleada (6 a 1 para os tadjiques), perdendo os outros jogos por um gol de diferença, além de marcar duas vezes.

Histórico foi a primeira vitória de um time butanês na AFC Presidents Cup 2006, 1 a 0 do Transport United sobre o Pakistan Army. No entanto, não foi possível se classificar para as semifinais, algo que ainda não aconteceu. Em 2007, o Transport United ficou a um ponto do Ratnam (Sri Lanka), que o derrotara por 6 a 1 – levou de 13 a 0 do Regar TadAZ.

Em 2008, um novo time mostrou que era possível evoluir o futebol de Butão. Fundado em 2002, o Yeedzin começou na segunda divisão no mesmo ano, terminando com o vice-campeonato. Dois anos mais tarde, a equipe foi terceira na elite nacional, ficando com a segunda posição em 2005 e 2006. Um grande trabalho de base, que consiste na criação de um time na terceira divisão local, formado por jovens, servindo de base para o time principal – chegou-se a ter 100 garotos, mas os problemas financeiros resultaram em cortes pela metade. O clube de Timphu colheu frutos em 2008, com o título invicto (14v, 2e, 0d), mas em solo internacional o desastre foi total, com derrotas para Ratnam (7 a 1), Asgabat/Turcomenisão (7 a 1) e Kanbawza/Mianmar (11 a 0).

Nas temporadas seguintes, os representantes de Butão na AFC Presidents Cup continuaram dando vexame. A partir de 2008, nenhuma equipe alcançou sequer um empate na competição, totalizando 17 reveses, com apenas sete gols marcados e incríveis 124 contra. Porém, há esperança para o futebol de Butão…

Novo capítulo

Em 2012-13, a federação butanesa deu um importante passo rumo à evolução do futebol no país. Pela primeira vez de fato, Butão tem uma liga nacional. Seis equipes participaram, sendo três de Thimphu (os três primeiros em 2012) e três de outros distritos (equivalente às federações estaduais brasileiras, que em Butão são 20).

Evidente que os times da capital dominaram, com o quarto troféu do Yeedzin, novamente terminando o torneio invicto, com 26 pontos em dez jogos (8v, 2e, 0d), 23 gols marcados e apenas cinco contra. Porém, o marco dessa nova fase do futebol de Butão não poderia deixar de ser o curioso patrocínio oficial da Coca Cola à liga nacional, e até um vídeo de apresentação! Será que agora os butaneses podem sonhar?

Curtas

– O título nacional de 2012-13 rendeu aos cofres do Yeedzin a bagatela de 400 mil ngultrum, a moeda local (R$ 15 mil). O vice-campeão Druk Pol levou R$ 7,5 mil, enquanto o Ugyen Academy, que não é da capital, embolsou R$ 3,7 mil. E só o Emerson Sheik, aos 34 anos, ganha R$ 300 mil mensais…

– A federação local tem o objetivo de incluir cada vez mais equipes de outros distritos na liga nacional, para espalhar a beleza do jogo de futebol em todos as 20 regiões. Além da Coca Cola, outras empresas patrocinam a competição: Tashi Beverages Limited, Druk Air, Zimdra Food Pvt Limited e Samden Group.

– A seleção de Butão é treinada pelo japonês Kazunori Ohara e conta com atletas que atuam no futebol nacional (maioria do Yeedzin, com oito). O time já entrou em campo 58 vezes, com quatro vitórias, cinco empates e 49 derrotas, 33 gols marcados e 206 contra. A estreia ocorreu em 1982, revés de 3 a 1 para Nepal. A maior vitória foi de 6 a 0 sobre Guam (2003), enquanto o maior vexame foi a favor do Kuwait (20 a 0), em 2000. A equipe nunca jogou eliminatórias, pois desistiu em 2010, classificando o Kuwait, e nem se inscreveu em 2014.

– O último amistoso de Butão foi contra a Tailândia (derrota de 5 a 0), em 14 de novembro de 2012. No segundo semestre, a equipe joga o Campeonato Sul Asiático (SAFF Championship), entre 1º e 11 de setembro, no Nepal. Dois times do país (Yeedzin e Thimpu) vão participar da Kings Cup, competição promovida pela federação butanesa e que contará com equipes de Índia, Bangladesh e Nepal, divididas em dois grupos. Mais experiência internacional à vista.

– Uma curiosidade: Thimphu não tem nenhum semáforo nas ruas, mas há planos para instalá-los em breve. Não há estradas no norte do país e nem ferrovias (em todo o território nacional), mas dois aeroportos, além de um terceiro na fonteira com a Índia.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo