Asensio revela incerteza que viveu após lesão: “Eu dizia: ‘Como vou voltar a jogar futebol de novo?’”

Com apenas 24 anos, Marco Asensio já passou por uma situação divisora de águas em sua carreira. Lesionado na metade do ano passado, esteve 250 dias afastado devido a uma ruptura do ligamento cruzado do joelho e hoje, lentamente buscando de novo seu espaço na equipe titular do Real Madrid, reconhece que viu sua carreira em dúvida em meio à longa recuperação.

[foo_related_posts]

Em entrevista ao programa El Transistor, da rádio Onda Cero, Asensio revelou detalhes do período de reabilitação, especialmente duro no princípio, quando precisava de ajuda para fazer tudo e tinha dificuldades em dormir, pensando na lesão.

“No início da recuperação, eu sofri bastante. Estava sentindo muita dor, em uma cadeira de rodas, não conseguia viver uma vida normal. Eles tinham que me acompanhar para fazer tudo. Eu dormia por uma hora, uma hora e meia, porque não conseguia parar de pensar no meu joelho. É uma experiência que me fortaleceu de todas as maneiras”, refletiu.

“A lesão me mudou. Cada dia é uma luta contra si mesmo, tentando melhorar. Todo dia é um objetivo diferente, senão era um passo atrás na recuperação. Houve muitos dias em que disse: ‘Como é que vou voltar a jogar futebol de novo’?”

Asensio se lesionou em julho de 2019 e perdeu quase toda a temporada 2019/20. Liberado em março de 2020, viu o Coronavírus atingir o mundo e paralisar o futebol. Só foi retornar aos gramados em junho de 2020 – e voltou em alta. Com apenas 16 minutos em campo, deu uma assistência e marcou um gol na vitória por 3 a 0 sobre o Valencia. No entanto, ainda não sabe o que é completar um jogo inteiro como titular desde antes da contusão. A última vez que isso aconteceu foi em abril de 2019.

Agora que a lesão é coisa do passado, Asensio espera não sofrer com consequências do problema no joelho e quer aproveitar os minutos que terá em campo, em meio a tantas competições. “Estou mais do que preparado para esta temporada, tenho uma esperança tremenda. Há muitas competições, e queremos vencer tudo.”

No passado, Zinédine Zidane já demonstrou muita confiança em Asensio, a quem deu uma oportunidade de ouro no início da passagem do jogador por Madri, em 2016, tornando-o titular na Supercopa da Europa daquele ano e abrindo caminho para mais espaço ao longo da temporada. O espanhol deseja corresponder à confiança que o técnico normalmente lhe confere, especialmente considerando a relação que tem com o francês, seu ídolo na infância e hoje um líder que inspira.

“Ele é muito sincero, passa muita tranquilidade e é um grande treinador, que trouxe muitos troféus a Madri. Todo ele se supera. Quando eu era criança, tinha um poster do voleio dele (contra o Leverkusen, na final da Champions League 2002) no meu quarto.”

A seleção espanhola, no momento em ação na data Fifa, é também um objetivo para Asensio. Seu último jogo pela Roja aconteceu ainda em junho de 2019, pouco antes de sua lesão no joelho. À época, o jogador vinha sendo presença constante nas convocações – e espera que possa recuperar logo este status.

“Esses dias são um pouco estranhos, porque faz um bom tempo que eu não sou convocado. Mas continuarei trabalhando para voltar.”