Mesmo que você não goste do Campeonato Italiano, dificilmente escapará de ver nos programas sobre futebol deste final de semana o conto de fadas vivido por Alberto Brignoli. Nada mais compreensível. O goleiro de 26 anos, emprestado ao Benevento pela Juventus, marcou gol aos 49 minutos do segundo tempo, convertendo-se no primeiro arqueiro da Serie A a colocar a esférica no filó adversário desde Massimo Taibi, pelo Reggina, em 2000. Não bastasse isso, Brignoli foi o herói inesperado do empate por 2 a 2 com o Milan, que rendeu enfim o primeiro ponto ao último colocado, após 14 rodadas de agrura, só com derrotas.

E Brignoli reconheceu a sorte que teve. Em declarações após o jogo, à tevê italiana, ainda no gramado, o goleiro do Benevento comentou o que passou por sua cabeça naquele momento em que se converteu no nome da rodada: “É difícil de descrever. Fui para a área com esperança. Pensei que nada tínhamos a perder. Fui lá, saltei e fechei os olhos. Pulei mais como um goleiro do que como um atacante”.

Todavia, se Brignoli foi o homem a quem a sorte sorriu, Gennaro Gattuso mostrou no banco a mesma raiva que mostrava em campo quando atuava pelo Milan. Estreando como técnico milanista, “Rino” foi ainda mais fundo na descrição de seus sentimentos após o empate, à SKY Italia: “Dói, e é tudo o que posso dizer. Uma facada doeria menos. Até sofremos nos 15 minutos finais, mas o gol que tomamos foi de maneira bizarra. Nunca esperaria levar o gol no último segundo, com o goleiro na nossa área”.


Os comentários estão desativados.