As próprias lendas dos títulos europeus do Forest vão boicotar aniversário elitista do clube

Colin Barrett e John Robertson anunciam que não vão a jantar de gala do time por causa dos preços excludentes dos ingressos

O Nottingham Forest planeja uma festa especial para o fim desta temporada. Foi na primeira metade dela, afinal, que o clube completou 150 anos. A ideia é oferecer um jantar de gala no dia 2 de maio, próximo ao fim da atual campanha na Championship, tanto para celebrar o século e meio de existência da agremiação quanto para realizar a cerimônia de premiações individuais da temporada 2015/16. Entretanto, o evento ameaça ser um fiasco, graças ao boicote promovido pelas próprias lendas do clube por causa dos preços abusivos.

VEJA TAMBÉM: O dia em que Cruyff foi anunciado como reforço do Leicester

O Forest planejava que o elenco atual do clube estivesse ao lado de estrelas do passado glorioso da equipe, e isso implica, é claro, na presença dos bicampeões europeus em 1978/79 e 1979/80. Entretanto, duas das lendas comandadas por Brian Clough naqueles anos áureos já anunciaram que vão boicotar o evento. Colin Barrett, figura bastante popular entre os torcedores e autor do gol que eliminou o Liverpool na primeira fase da campanha da primeira conquista europeia, foi quem puxou a fila, criticando publicamente a postura do Nottingham Forest nos preços praticados para o jantar.

“Como eles podem justificar estes preços? Como se justifica celebrar 150 anos da história de um clube e decidir transformar isso em uma noite da elite, excluindo tantos torcedores? Os preços dos ingressos estão começando em £ 150, sem contar as taxas, e isso é escandaloso. Algumas empresas podem comprar esses ingressos, mas imagino que isso afaste 99,9% dos torcedores”, questionou Barrett, em entrevista ao programa The Boot Room, da emissora Notts TV.

A revolta de Barrett é justificada pelos valores de fato excludentes que o clube estabeleceu para o jantar. O pacote mais caro, uma mesa para dez pessoas, sai por £ 2,4 mil. Há outras opções por por £ 1,8 mil e £ 1,2 mil, e alguns convites individuais, saindo por £ 180 cada.

Segundo o jornal Guardian, ninguém menos do que John Robertson, considerado o melhor jogador da história do Forest, responsável pela jogada do gol do primeiro título europeu, contra o Malmö, e autor do gol decisivo do bicampeonato, contra o Hamburgo, foi o primeiro a se juntar a Barrett no boicote, e a tendência é de que outros dos campeões europeus sigam o mesmo caminho.

Diante da repercussão negativa, potencializada pelas palavras de Barrett e o anúncio do boicote, o que tinha tudo para ser uma noite especial de celebração de uma história vencedora pode acabar de maneira bastante embaraçosa. E tudo porque o clube escolheu fazer dinheiro em vez de achar uma maneira de incluir seus torcedores em uma cerimônia de tal marco, ao qual o Forest não chegaria sem o apoio de seus fanáticos. Na Inglaterra, com a discussão cada vez mais forte por uma maior reinclusão de torcedores de classes mais populares, está cada vez mais difícil negligenciar sua torcida e se safar disso.