O Barcelona de Guayaquil é um participante costumeiro da Copa Libertadores e, mais do que isso, um time chato de se enfrentar. Não à toa, os equatorianos chegaram às semifinais em 2017 e costumam dar trabalho quando jogam em casa, no Estádio Monumental Isidro Romero. Deveria ter sido um passeio contra o Defensor, pela segunda fase preliminar do torneio continental. Porém, mesmo ganhando os dois jogos, os Amarillos foram impedidos pela irregularidade na inscrição do meio-campista Sebastián Pérez. O épico triunfo por 2 a 1 em Montevidéu de nada adiantou, com os tribunais da Conmebol determinando a vitória por 3 a 0  dos violetas. Já nesta terça, o placar de 1 a 0 em Guayaquil se tornou insuficiente.

O pior dessa história é que o Barcelona, aparentemente, não tem culpa no cartório. Sebastián Pérez foi a principal contratação dos equatorianos para a disputa da Libertadores. O meio-campista, com passagens por Atlético Nacional e Boca Juniors, alinhou sua contratação no final de 2018. Estreou em janeiro, disputando amistosos com os Amarillos. O problema foi da Federação Equatoriana de Futebol (FEF), que não enviou a papelada do colombiano antecipadamente à Conmebol. O regulamento determina que as inscrições devam acontecer 48 horas antes do jogo, mas a entidade nacional não respeitou este prazo. Agora, os dirigentes prometem ajudar o clube na apelação, ainda cabível.

Titular no jogo de ida, Sebastián Pérez não apareceu na escalação desta vez. E o trabalho sem a bola do Defensor valeu para que os uruguaios segurassem a diferença mínima. O Barcelona saiu em vantagem aos 40 do primeiro tempo, com um golaço de Matías Oyola. O volante deu uma linda finta na entrada da área e bateu por cobertura, mandando a bola no ângulo. Porém, os anfitriões não conseguiram ampliar a diferença necessária. Na próxima fase, os violetas encaram o Galo – caso nenhuma reviravolta aconteça.

O Barcelona, aliás, não foi o único favorito que sucumbiu nesta terça-feira. O Independiente Medellín havia empatado com o Palestino no Chile e agora tinha o apoio de sua torcida no Atanásio Girardot. Novamente, ficou no 1 a 1, o que forçou os pênaltis. E a falta de pontaria pesou, com o triunfo de 4 a 1 dos visitantes na marca da cal. Durante o primeiro tempo, o veterano Luis Jiménez abriu o placar aos chilenos, mas Jesús Murillo empatou logo depois. O problema veio nos 11 metros, quando apenas um dos três primeiros batedores do DIM converteu sua cobrança. O Palestino manteve os 100% de aproveitamento e passou. Será adversário de Talleres ou São Paulo por uma vaga na fase de grupos.