Arteiro e artista, Cazares eletrizou o Galo rumo à liderança de sua chave na Libertadores

Equatoriano fez dois golaços e comandou as tabelas envolventes de sua equipe, que amassou o Godoy Cruz no Independência

Por vezes ele pode ser arredio, em algumas outras inconstante. Mas, definitivamente, é um azougue. Quando resolve jogar toda a bola que sabe, Juan Cazares se coloca entre os jogadores mais infernais do futebol brasileiro neste momento. Pobre Godoy Cruz. Os argentinos sofreram com o inspirado equatoriano no Estádio Independência. Foram dois golaços, uma assistência e um verdadeiro show na goleada do Atlético Mineiro por 4 a 1. Resultado para fazer os alvinegros, já classificados, inflarem o peito e que também permitiu que assumissem a liderança de sua chave no término de sua participação na fase de grupos.

O Godoy Cruz não representou o mesmo desafio que o Galo encontrou em Mendoza. Não só pela distância de casa, mas também pelo fato de que o técnico Lucas Bernardi optou por poupar vários de seus titulares. Com a classificação garantida e precisando só do empate para manter a primeira posição, os bodegueros resolveram apostar. Pagaram caro por isso. Sem nem querer saber, os atleticanos passaram por cima dos visitantes. Para enlouquecer ainda mais a massa nas arquibancadas.

Cazares começou a aprontar das suas logo aos três minutos. Lançamento de Marcos Rocha que o camisa 10 arrematou com enorme categoria, encobrindo o goleiro Rodrigo Rey. Sua primeira pintura da noite. O ataque do Galo funcionava por música. Por mais que o equatoriano se sobressaísse, a movimentação da equipe era muito efetiva, com Robinho e Elias também se aproximando. Faltava apenas um pouco mais de espaço para finalizar, com Fred quase sempre travado pela marcação.

Aos 28 minutos, Cazares clareou o caminho para o Atlético. E cobrança de falta cirúrgica, o equatoriano ampliou. Bateu por cima da barreira, em bola caprichosa que ainda tocou o travessão e o chão antes de beijar as redes, confirmando que estava dentro. A partir de então, o salão se abriu um pouco mais para a dança. As tabelas iam saindo e tornavam a goleada uma questão de tempo. Nos acréscimos, em tabela envolvendo Cazares e Robinho, Elias saiu de frente para o gol, deixando o seu.

O Atlético parecia pronto a se soltar mais na segunda etapa, com Maicosuel na vaga de Adílson. E, logo aos três minutos, saiu o quarto gol. Nova jogada envolvente, com Cazares recebendo de Yago e dando um tapa para Fred fechar a conta para os mineiros. Diante da noite gorda, o time de Roger Machado tirou o pé do acelerador. Ainda fez uma boa jogada ou outra, mas também viu o Godoy Cruz incomodar do outro lado. Juan Fernando Garro descontou aos 27 minutos. Mesmo assim, o Galo poderia ter feito o quinto nos instantes finais.

Sem dúvidas, Cazares é um diferencial no bom time do Atlético. É, ao lado de Robinho, o cara mais capaz de uma jogada diferente, de um toque de arte. Dribla bem, raciocina rápido, não tem medo de arriscar, sabe bater na bola, se movimenta bastante. E, nesta terça, sua alta voltagem contagiou o resto do time. Marcou uma atuação praticamente impecável, por mais que o Godoy Cruz apresentasse os seus poréns. Fato é que os alvinegros avançam às oitavas de final com uma campanha convincente e a primeira colocação do Grupo 6. Mais importante que isso, crescendo na competição, prometendo voos mais altos.