Não foi brilhante, longe disso, e o West Ham poderia perfeitamente ter saído com os três pontos se aproveitasse suas chances, mas o fato é que o Arsenal, com o placar magro de 1 a 0, chegou à sua terceira vitória seguida na Premier League pela primeira vez na temporada. Um resultado bom que não vem acompanhado de bom desempenho, mas que permite aos Gunners sonhar com uma classificação à Champions League de 2020/21.

Em dois vacilos da defesa, o Arsenal esteve sob risco de levar um gol ainda no começo do duelo. Primeiro com Granit Xhaka, que, sem pressão, entregou a bola no pé de Jarrod Bowen. O ponta tinha espaço pela frente, mas arriscou de longe e acertou a trave esquerda de Bernd Leno, aos dois minutos de jogo.

Depois, aos 11 minutos, em contra-ataque do West Ham, Pablo Marí bobeou, errando uma interceptação primordial e dando todo o campo para Antonio atacar. Os Hammers estavam em um dois contra um: Antonio e Haller contra David Luiz. Porém, o inglês errou o passe para o francês, que estava sozinho na entrada da pequena área. Jogou em suas costas, e não foi possível para Haller alcançar a bola.

Aos 19, o West Ham pressionou a transição defesa-ataque do Arsenal e roubou a bola em boa posição. Haller então foi lançado sozinho contra Leno, mas acabou parado pelo alemão, que se lançou com precisão aos pés do atacante. Três minutos mais tarde, foi a vez de os Gunners responderem: em escanteio ensaiado, a bola sobrou para Pépé, que abriu com Aubameyang pela direita, o gabonês cruzou, e Sokratis acertou o travessão, de cabeça.

Ainda no primeiro tempo, aos 41 minutos, o pior desperdício de gol do West Ham aconteceu com Michail Antonio. Após escanteio, Diop desviou, e Antonio, livre, com espaço, e basicamente embaixo do gol, conseguiu mandar pela linha de fundo.

Na segunda etapa, o Arsenal melhorou, sobretudo contando com as subidas perigosas ao ataque de Bukayo Saka. No entanto, o West Ham ainda criou chances importantes de gol. Na principal delas, Leno foi essencial para impedir o gol dos visitantes, com uma defesaça em cabeçada de Antonio, sozinho na área.

A 12 minutos do fim do tempo regulamentar, o Arsenal encontrou seu gol. Da linha do meio de campo, Pablo Marí, titular na defesa dos Gunners, acertou um passe vertical para Aubameyang, que ajeitou pela esquerda para Saka. O garoto fez boa jogada individual, tocou para Auba, e o gabonês tentou o chute. Após desvio na defesa, a bola caiu para Özil, que tocou de cabeça para Lacazette, sozinho, fazer o 1 a 0.

Standings provided by Sofascore LiveScore

O triunfo passou longe de ser brilhante e tampouco foi lá muito merecido, se observarmos as chances de gol desperdiçadas pelo West Ham, sobretudo com Michail Antonio. Mas, pela primeira vez desde fevereiro de 2019, o Arsenal vence três jogos seguidos na Premier League.

Não houve brilho nesta sequência positiva, mas ela foi suficiente para colocar os Gunners na briga pelo Top 4. Em outros anos, uma equipe com este nível de desempenho mostrado até aqui não estaria em posição de lutar por vaga na Champions League. Mas em uma temporada marcada por decepções e em que basicamente só o Liverpool vai realmente bem – e como vai –, o Arsenal, 10º colocado por ora, se encontra agora a cinco pontos do 4º lugar, ocupado pelo Chelsea.

Se por um lado a disputa do título não teve suspense algum na atual campanha, com o Liverpool disparado na frente rumo a seu primeiro título de Campeonato Inglês em 30 anos, por outro, a contenda por vagas na Europa está aberta como nunca. E, agora, ao alcance até deste irregular Arsenal.