Arsenal foge do apocalipse, mas ainda está longe do céu

Melhor time da Premier League nas últimas cinco rodadas, Gunners ainda estão em posição delicada, mas só devem depender de si para ir à próxima Champions

O Arsenal viveu semanas negras entre o final de fevereiro e o início de março. Vexame contra o Blackburn na Copa da Inglaterra, massacre contra o Bayern Munique na Liga dos Campeões e derrota no clássico contra o Tottenham. Fora do Top Four, os Gunners davam coro aos mais pessimistas, que previam a hecatombe com o clube fora da próxima Champions, algo que não acontece desde 1997/98.

A sequência de sustos serviu para que Arsène Wenger botasse ordem na casa. A passagem às quartas de final da LC não veio, mas os londrinos fizeram o Bayern suar frio em Munique. Já nas últimas cinco rodadas da Premier League, os Gunners contam com a melhor campanha entre os 20 participantes, conquistando 13 pontos em 15 possíveis. Adversários sem tanto peso, é verdade, mas um desempenho que serviu para recolocar o clube na terceira posição e botar panos quentes na crise. Ainda que que não garanta um futuro melhor.

Neste sábado, o Arsenal foi até Craven Cottage e fez sua parte contra o Fulham. Com um jogador a mais desde os 12 minutos de jogo, os Gunners venceram por 1 a 0, graças a gol de Per Mertesacker em jogada aérea. Não que o time tenha se esforçado muito para tanto. Os visitantes até criaram mais chances, mas foram pouco produtivos pelo tanto de tempo que ficaram com a bola nos pés. Algo recorrente nesta temporada.

Arsenal teve 71% de posse, mas pouco se aproximou da área do Fulham
Arsenal teve 71% de posse, mas pouco se aproximou da área do Fulham

E, assim como o triunfo contra o Fulham merece ressalvas, as condições do time na tabela da Premier League devem ser observadas com cuidado. O Arsenal é o terceiro colocado, com 61 pontos, dois a mais que o Chelsea e cinco a mais que o Tottenham. Contudo, ambos os rivais entraram em campo duas vezes a menos na competição.

Olhando para os próximos dois jogos de Blues e Spurs, é provável que o Arsenal caia para o quarto lugar. O Chelsea deve conquistar ao menos dois pontos contra Liverpool, em Anfield, e Swansea City, em Stamford Bridge. Já o Tottenham terá muito mais trabalho ante Manchester City, em White Hart Lane, e Wigan, no Estádio DW.

O Arsenal, por sua vez, não deverá ter moleza em suas últimas quatro partidas. Pega o Manchester United, que pode comemorar o título no Emirates, além de Wigan e Newcastle, que lutam contra o rebaixamento. Vida um pouco mais fácil, apenas contra o Queens Park Rangers, possivelmente morto no campeonato no início de maio.

Para alívio dos Gunners, ao menos, as próximas rodadas guardam jogos tão difíceis quanto para Chelsea e Tottenham. Os Blues têm pela frente o Manchester United, além de Everton e Aston Villa. Por sua parte, os Spurs encaram Southampton, Stoke City e Sunderland, todos correndo o risco de degola. Além do mais, haverá o dérbi londrino em Stamford Bridge, que poderá matar um dos dois e abrir o caminho para Arsène Wenger se safar.

Diante dessa perspectiva, o Arsenal não está tão próximo assim do céu, mas também tem uma folga ante o apocalipse que se aproximava. Embora a matemática não diga isso, o time depende apenas de suas próprias forças para estar na próxima Liga dos Campeões. Para tanto, precisa ser mais incisivo contra adversários que devem vir com sangue nos olhos. O melhor jeito de buscar a redenção na temporada que vem sem sentir uma pressão ainda maior.