Já está claro que o Arsenal precisa de reforços se quiser voltar ao topo da Premier League. A torcida sabe disso e pressiona. Arsène Wenger também e tenta mostrar serviço no mercado de transferência. O fato é que, apesar das várias especulações, apenas Yaya Sanogo foi contratado pelos Gunners. E para mudar essa má impressão de que o clube está perdendo tempo, Luis Suárez foi escolhido como a grande aposta.

Para ter o direito de negociar com o atacante, o Arsenal ofereceu € 48 milhões ao Liverpool. Só falta realmente convencer os Reds a vender seu principal jogador. Em tom de deboche, o dono do Liverpool, John W. Henry, questionou através de seu twitter: “O que vocês pensam que eles andam fumando no Estádio Emirates?”. Sinal claro da indisposição sobre a transferência.

Como afirmou Jeremy Wilson, colunista do The Telegraph, “Wenger acredita que Suárez possa ser o substituto perfeito para Robin van Persie”. Pelo poder de conclusão e pela mobilidade, de fato, é difícil encontrar outro centroavante do nível disponível no mercado. O Liverpool, por sua vez, adota postura parecida na negociação de outro antigo ídolo: Fernando Torres. Os Reds não queriam perder o espanhol e só o fizeram quando o Chelsea fez uma proposta irrecusável, € 58,5 milhões. As conversas por Suárez seguem no mesmo caminho.

Agora, resta entender apenas a cabeça de cada uma das partes nesta mesa de negociações. A pressa de Wenger é evidente, ainda mais diante do imbróglio sobre Wayne Rooney e da ida de Gonzalo Higuaín ao Napoli, os outros dois alvos do clube para a posição. Contudo, Suárez não parece ser a peça que falta para tornar os Gunners em um time que briga pelo título. A evolução coletiva na temporada passada aconteceu, mas o uruguaio é mais um nome para tornar a equipe dependente de seu astro, como era com Van Persie.

O atacante, por sua vez, começa a entrar em contradição. Em suas palavras, a maior motivação para deixar o Liverpool era brigar por títulos e disputar a Liga dos Campeões. Na competição continental, ele estará. Mas precisa mesmo confiar em seu taco ao acreditar que vai transformar o Arsenal, que sofreu para entrar no Top Four na temporada passada, em um time capaz de brigar com Manchester United, Manchester City e Chelsea.

Já o Liverpool fica na dele. Monta uma equipe ao estilo de Brendan Rodgers, pensando no futuro, e, ao que parece, Suárez está nos planos para ser a estrela da companhia. Se quebrarem a banca pelo uruguaio, tudo bem, os Reds o venderão e encherão os cofres com um dinheiro absurdo. Só precisam ser inteligentes para não repetir os erros do passado – mais especificamente, o desespero de 31 de janeiro de 2011, quando trouxeram Suárez, mas também pagaram € 41 milhões por Andy Carroll.