O atacante Willian, de 32 anos, foi anunciado pelo Arsenal nesta sexta-feira. O jogador assinou contrato por três temporadas, exatamente como ele queria, para se juntar aos Gunners. Ele rejeitou uma proposta de renovação de contrato do Chelsea, que propôs dois anos de contrato, a pedido do técnico Frank Lampard. O brasileiro vai para um clube que tem interesse em sua chegada há algum tempo. Atende um desejo do jogador de permanecer em Londres, onde ele e a família estão bem adaptados.

Willian estava há sete anos no Chelsea, onde conseguiu muito respeito dos torcedores com boas atuações regularmente. Conquistou dois títulos da Premier League pelos Blues, uma Copa da Inglaterra e uma Liga Europa. Foram 339 jogos pelo clube de Stamford Bridge, com 63 gols marcados e 56 assistências no período.

No Arsenal, seu desafio será grande. O clube terminou a temporada vencendo o Chelsea, justamente seu ex-clube, na final da Copa da Inglaterra. Foi o primeiro título de Mikel Arteta como técnico. A disputa por posições na Premier League deve ser acirrada, como tem sido nos últimos anos. Além do campeão Liverpool e do sempre forte Manchester City, ainda há o Manchester United, que vem melhor neste final de temporada (e ainda briga pelo título da Liga Europa), e o próprio Chelsea, que fechou o grupo dos quatro primeiros colocados na temporada passada. O Arsenal, que teve Arteta desde dezembro, chegou em oitavo, atrás do Wolverhampton e do rival Tottenham.

“Eu gosto do modo como eles jogam, e eu acho que com [Mikel] Arteta, o Arsenal tem uma grande oportunidade de lutar novamente por títulos na Premier League e na Europa e estou muito feliz por causa disso”, disse Willian ao site do Arsenal. “Quando eu falei com [Mikel], a conversa foi boa, ele me deu confiança em vir para o Arsenal. Ele disse muitas coisas boas para mim e foi por isso que eu vim para o Arsenal”.

O técnico Arteta admitiu que ficou surpreso com a vontade de Willian de jogar pelo Arsenal. “Eu acredito que ele é um jogador que realmente pode fazer a diferença para nós”, afirmou. “Nós estamos o monitorando nos últimos meses, nós tínhamos uma clara intenção de nos fortalecermos nas posições de meia ofensivo e ponta. Ele é um jogador que me dá muita versatilidade, ele pode jogar em três ou quatro posições diferentes”.

“Ele tem experiência de tudo no mundo do futebol, mas ainda tem a ambição de vir aqui e contribuir em levar o clube onde ele pertence. Eu fiquei realmente impressionado nas conversas que eu tive com ele e como ele queria vir”, contou Arteta.

Willian tem muita experiência também pela seleção brasileira. O jogador estreou em 2011, ainda com o técnico Mano Menezes e quando atuava pelo Shakhtar Donetsk, e fez até hoje 70 jogos e marcou nove gols. Esteve no grupo nas Copas do Mundo de 2014 e 2018, sendo titular nesta segunda, além de ter jogado as Copas América de 2015 e 2019, sendo campeão nesta última. Por isso, Edu Gaspar, ex-diretor da CBF, sabe bem o que esperar do meia-atacante.

“Eu o conheço muito bem, já há muito tempo, porque estivemos trabalhando junto pela seleção brasileira e é claro que eu estava o acompanhando, porque ele jogava por outro clube”, afirmou Edu Gaspar, diretor técnico do Arsenal. “Ele tem atributos fantásticos como pessoa, como jogador de futebol, é claro, sua personalidade. Eu tenho certeza que todo mundo no vestiário, os torcedores, eu mesmo e Mikel irão aproveitar ter Willian ao nosso lado”.

Willian vestirá a camisa 12 no Arsenal, já que a 10, a sua preferida, está com o alemão Mesut Özil. A camisa 22, outra que ele já usou na Europa tanto no Shakhtar Donetsk, está com Pablo Marí, ex-Flamengo.

Formado pelo Corinthians, Willian subiu para o time profissional em 2006. Ficou pouco tempo no clube paulista, já que o Shakhtar Donetsk pagou € 14 milhões (€ 16,9 milhões, em valores corrigidos pela inflação) para levá-lo à Ucrânia. Depois de ser especulado em diversos clubes, acabou deixando o Shakhtar para defender o Anzhi, da Rússia, em janeiro de 2013, por € 35 milhões (€ 37,2 milhões, corrigidos pela inflação). Naquele mesmo ano, em agosto, deixou o Anzhi para, enfim, ir para o Chelsea, na Inglaterra. Sete anos depois, abre um novo capítulo na sua carreira no Arsenal.