Marcelo Bielsa tem discípulos espalhados pelo mundo do futebol e um deles acabou de trazer o Argentino Juniors de volta à primeira divisão argentina. Gabriel Heinze, no começo de sua carreira de treinador, conquistou o acesso com quatro rodadas de antecedência ao vencer o Gimnasia de Jujuy, por 1 a 0, no estádio Diego Maradona, depois do empate sem gols do Guillermo Brown com o All Boys.

LEIA MAIS: No terrão de seu povoado, Dybala marcou de falta mesmo com toda essa galera na “barreira”

Heinze foi comandado por Bielsa na seleção argentina e tenta implementar alguns dos conceitos do atual treinador do Lille: um bom toque de bola, de pé em pé, movimentação constante, muita intensidade, pressão para recuperar a bola e atenção aos detalhes. Rechaça, porém, qualquer tipo de comparação, como nesta entrevista, de 2015, quando ainda era o comandante do Godoy Cruz, seu primeiro clube com a prancheta na mão. “Marcelo Bielsa é o treinador número um do mundo, mas não posso me comparar com ele, seria uma falta de respeito. Não faço absolutamente nada do que ele faz. Marcelo está um passo gigante à frente de todo mundo”, disse.

No entanto, a admiração e as comparações existem. Chegou a ser especulado que ele integraria a comissão técnica de Bielsa no Olympique Marseille. Tevez, por sua vez, afirmou, depois de ir para a China, que gostaria que Heinze treinasse o seu Boca Juniors. “Para mim, ele será o próximo Bielsa. Tenho fé porque sei o tipo de pessoa que ele é. Sei que trabalha 24 horas para o clube, sei como trabalha e o melhor que tenho a dizer sobre ele é como pessoa”, afirmou. Esta matéria da TyC Sports mostra como atua o Argentino Juniors treinado por Heinze.

Rebaixado em 2016, a passagem do Argentino Juniors pela segunda divisão argentina foi breve, durou apenas um ano. O clube retorna com 23 vitórias, 12 empates e apenas seis derrotas, em 41 partidas até agora. Marcou 57 gols e sofreu 22, números que lhe dão o melhor ataque e a melhor defesa da competição.

A partida contra o Gimnasia foi toda dominada pelo Argentino Juniors, mas o goleiro Cavalotti impediu que o gol saísse. Defendeu tentativas de Fydriszewski, Batallini e Cabrera, até Nico González marcar o tento do acesso, a três minutos do final. “Foi um ano muito duro. Esses rapazes merecem esta alegria”, comemorou Heinze, mais um jovem técnico promissor da Argentina.