Árbitro turco invade entrevista de técnico para pedir desculpa por erro decisivo

Deniz Coban foi ludibriado por atacante, assinalou pênalti inexistente no fim do jogo, mas foi até treinador prejudicado para se desculpar

O árbitro Deniz Coban protagonizou uma cena bastante inusitada na TV turca na noite desta segunda-feira. Responsável por apitar o confronto entre Kasimpasa e Rizespor, Coban influenciou diretamente o resultado do jogo, assinalando um pênalti inexistente no fim do jogo. Após o apito final, tendo constatado o erro, o árbitro interrompeu a entrevista do técnico do Kasimpasa, prejudicado pela decisão, e fez possivelmente o pedido de desculpa mais sincero que você já viu no futebol.

VEJA TAMBÉM: Dinamarquês empata jogo aos 48 do segundo tempo e comemora tomando cerveja de torcedor

O Kasimpasa vencia o Rizespor por 1 a 0, mas, aos 52 do segundo tempo, o Rizespor chegou ao gol de empate em cobrança de pênalti. O problema é que o árbitro foi ludibriado no lance em que assinalou a penalidade. Precisando do resultado, o atacante Leonard Kweuke se atirou no gramado e conseguiu enganar o árbitro, convertendo ele mesmo o pênalti e causando ainda a expulsão do goleiro Koray Altinay.

Após a partida, Riza Calimbay, técnico do Kasimpasa, concedia entrevista a um repórter de TV, ao vivo, quando foi interrompido por Coban. “Peço desculpa a você, ao time do Kasimpasa, ao time do Rizespor, à Federação Turca e também ao comitê de arbitragem e tenho que considerar meu futuro depois disso”, afirmou o árbitro.

Surpreso pela atitude de Coban, Calimbay observou atentamente o árbitro e demonstrou compreensão, pedindo que o profissional não deixasse o futebol por causa de um erro e afirmando que ele servia como exemplo para o esporte. “Todos cometemos erros, mas o fato de que você tenha tido a coragem de vir aqui e admitir o erro é digno de muito respeito. Não fale em deixar a profissão, o esporte precisa de mais pessoas como você”, respondeu o treinador.

Erros sempre acontecerão no futebol e podem no máximo ser minimizados com a implementação de novas tecnologias que auxiliem os árbitros. É algo com que os fãs e os profissionais do esporte precisam saber lidar. A nobreza nos gestos de Coban, de pedir desculpa, e no de Calimbay, de demonstrar ponderação e transigência com o árbitro, é um ótimo exemplo de como lidar com a questão, nunca resolvida em discussões acaloradas.