Após seis meses frustrantes na Inglaterra, Cutrone tentará se reerguer na Fiorentina e também impulsionar o clube

A empreitada de Patrick Cutrone na Premier League pouco durou. Apenas seis meses após sua transferência ao Wolverhampton, o centroavante está de volta à Serie A. O jovem se torna uma cartada da Fiorentina, que busca sua ascensão na tabela e trouxe um reforço com termos favoráveis às suas finanças. A Viola pagará €2 milhões pelo empréstimo de uma temporada e meia, enquanto a compra por €16 milhões será obrigatória em junho de 2021. Desta maneira, os Lobos também recuperam a totalidade de seu investimento realizado no início desta temporada.

Cutrone surgiu como um fenômeno no Milan, mas já indicava o seu declínio na temporada passada. O centroavante anotou apenas três gols na Serie A, com dificuldades para se encaixar na linha de frente principalmente após a chegada de Krzysztof Piatek. O Wolverhampton se tornou uma alternativa ao italiano e o Milan também não realizou tanto esforço para segurar seu prata da casa. Assim, o negócio fechado por €18 milhões parecia favorecer todas as partes.

Presente na Liga Europa, o Wolverhampton realmente necessitava de mais opções em seu elenco e a chegada de Cutrone garantia qualidade na rotação. Nuno Espírito Santo, todavia, indicava ter outros planos ao seu time. Raúl Jiménez permaneceu praticamente intocável na linha de frente, participando de todas as competições. A boa fase privilegiava o mexicano. Diogo Jota se mantinha como companhia favorita ao centroavante. E a própria ascensão de Pedro Neto, trazido da Lazio, custava espaço ao italiano.

Cutrone teve um pouco mais de sequência no início da temporada. A maior parte de seus minutos em campo na Premier League vieram até meados de outubro, sem provocar grande convencimento. Além disso, permaneceu como alternativa para as competições secundárias, embora nem mesmo fosse titular na Liga Europa. Estava bem claro que não aparecia no projeto principal do Wolverhampton e o melhor caminho seria se recolocar no mercado. Em 24 partidas com os Lobos, o jovem anotou apenas três gols e deu quatro assistências.

Aos 22 anos, Cutrone ainda teria muitos interessados em seu futebol. E a Fiorentina surge como destino. A Viola faz uma campanha decepcionante na Serie A, tentando se distanciar da zona de rebaixamento. Com novos donos, o clube não tem economizado em contratações. Leva mais um nome para tentar melhorar seu rendimento ofensivo. O promissor Dusan Vlahovic é o mais utilizado como homem de referência no ataque, mas anotou apenas três gols. Kevin-Prince Boateng é outro escalado por ali, também distante de agradar. Cutrone ocupa a lacuna.

E a chegada de Cutrone ainda pode influenciar os rumos do mercado brasileiro. Pedro passou seu primeiro semestre na Fiorentina enfrentando lesões e somou parcos 59 minutos na Serie A, saindo do banco em quatro partidas. Vincenzo Montella parecia não levar o centroavante tanto em consideração, o que poderia mudar com Beppe Iachini, mas a aposta em Cutrone aumenta a concorrência. As propostas de Flamengo e Grêmio podem vir a calhar, ainda que isso não signifique necessariamente o fim da linha a Pedro no clube italiano.

Cutrone, por si, também precisará se provar. Entre a queda de rendimento com o Milan e o que não deu certo na Inglaterra, o centroavante vem pressionado para dar uma resposta. Em compensação, voltará ao seu país e a um ritmo de jogo ao qual estará mais acostumado. Sua fome de gols será importante para reerguer a Fiorentina, num momento pouco animador do clube, quando o investimento indicava o contrário.