Internazionale e Napoli tinham tudo para fazer um grande jogo no San Siro, mas a noite termina marcada por mais um lamentável episódio de racismo na Serie A. A torcida nerazzurra entoou repetidos insultos racistas contra Kalidou Koulibaly. O zagueiro celeste, aliás, fazia uma ótima partida e era o melhor em campo. Contudo, aos 35 do segundo tempo, o senegalês saiu do sério. Após uma falta contestável em Matteo Politano, que rendeu o cartão amarelo, o defensor aplaudiu ironicamente. Não está claro se o gesto foi direcionado aos torcedores ou ao árbitro Paolo Mazzoleni, mas o napolitano recebeu o segundo amarelo, em expulsão determinante à vitória interista por 1 a 0. Na saída do estádio, o técnico Carlo Ancelotti revelou que Mazzoleni negou reiterados pedidos para que o duelo fosse paralisado, na intenção de conter o racismo. Prometeu que, da próxima vez, irá retirar sua equipe de campo.

“Havia uma atmosfera estranha. Pedimos três vezes ao árbitro para que o jogo fosse paralisado, foram feitos anúncios no sistema de som três vezes. Koulibaly certamente estava irritado. Normalmente ele é calmo e profissional, mas ouviu barulhos de macaco durante o jogo. Pedimos três vezes para que algo fosse feito, mas a partida continuou. Seguem dizendo que o jogo pode ser interrompido, mas quando? Depois de quatro ou cinco anúncios? Talvez tenhamos que resolver este problema com nossas próprias mãos da próxima vez e deixar de jogar por iniciativa própria. Eles provavelmente nos farão desistir do jogo se sairmos, mas estamos preparados para isso”, declarou Ancelotti, à Sky Itália.

 

Já durante o primeiro tempo, o racismo no San Siro ficou evidente. A organização da partida tentou intervir. Através do sistema de som do estádio, pediu para que os torcedores cessassem os insultos ou o confronto seria paralisado. Uma medida insuficiente, que não adiantou para nada. Ao todo, o aviso foi repetido três vezes nos alto-falantes. Segundo o protocolo do Campeonato Italiano, após os alertas, o árbitro tem a liberdade de suspender o jogo durante alguns minutos até que a situação se controle. Algo que não se vê acontecendo, de fato. Aí se concentra a insatisfação de Koulibaly e Ancelotti com Mazzoleni.

Nas redes sociais, Koulibaly postou uma mensagem confrontando o racismo. “Triste pela derrota e sobretudo por ter desapontado meus companheiros. Mas sou orgulhoso da cor da minha pele. De ser francês, senegalês, napolitano: homem”, escreveu. O zagueiro anunciou sua renovação com o Napoli nesta quarta-feira, reiterando o carinho que possui pelo clube. O defensor já foi alvo de atos racistas em outras oportunidades. Em fevereiro de 2016, após insultos proferidos por torcedores da Lazio, a diretoria napolitana distribuiu máscaras do ídolo aos torcedores no San Paolo para manifestar seu apoio.


Os comentários estão desativados.