O Banik Ostrava está entre os clubes mais tradicionais da República Tcheca. Quatro vezes campeão nacional e quadrifinalista da Champions em 1981, a equipe não tem feito tanto sucesso assim nas últimas temporadas. Acostumado a brigar por vagas nas copas europeias, o time passou a ser ameaçado pela zona de rebaixamento. E viveu um de seus maiores vexames nesta quinta-feira. O Banik foi eliminado da Copa da República Tcheca com uma derrota por 4 a 3 para o Jiskra Rýmarov, da quarta divisão. Humilhação que os seus torcedores não aceitaram, partindo para a violência.

O final da partida foi seguido por uma invasão de dezenas de ultras em campo, muitos deles com os rostos cobertos. Partiram para cima dos jogadores e começaram a arrancar as suas camisas, como se não fossem dignos de vesti-las – uma insanidade que, aliás, não é inédita, já tendo acontecido em partida do Genoa em 2012. Cenas de medo, diante da parca segurança no estádio de Rýmarov. Entre os jogadores atacados estava um brasileiro: o meia Dyjan, que fez carreira no leste europeu. O limite da barbárie, que precisa ser combatido de forma veemente pela federação tcheca.

Via Ultras Tifo

banik1

banik2