Após as suspensões do futebol na Rússia e na Ucrânia, o Campeonato Turco é o único que permanece em atividade na Europa. E, mesmo diante do aumento dos casos positivos de coronavírus no país, as autoridades turcas não sinalizaram ainda a interrupção da competição. Durante o último final de semana, a rodada da Süper Lig aconteceu sob portões fechados. John Obi Mikel esteve entre aqueles que questionaram a decisão, pedindo a paralisação do torneio. Já nesta terça-feira, o Trabzonspor anunciou o encerramento do contrato do nigeriano.

Segundo as informações oficiais, o vínculo foi encerrado em acordo mútuo. Mikel claramente não estava disposto a continuar se sujeitando aos riscos, enquanto a posição do Trabzonspor também ganha ares de censura ao seu atleta. Contratado pela equipe no início da atual temporada, o meio-campista de 32 anos vinha sendo titular no time que lidera a Süper Lig, somando 19 aparições em 26 rodadas. No último domingo, porém, ele permaneceu no banco durante o embate contra o vice-líder Istambul Basaksehir, que terminou com o empate em 1 a 1.

Em suas redes sociais, Mikel agradeceu o apoio e declarou que sua prioridade é proteger a família: “Gostaria de agradecer a todos os torcedores pelo apoio. Também quero agradecer a todos os meus companheiros de time, comissão técnica, equipe médica e roupeiros por tudo o que alcançamos nesta temporada até o momento. Desejo a todos boa sorte para ganhar a liga. Foi uma das decisões mais difíceis que já tomei, mas, na situação atual, todos precisamos cuidar de nossas famílias, passar um tempo com elas e protegê-las”. O Trabzonspor, por sua vez, não deu grandes detalhes sobre o rompimento do vínculo.

Antes da rodada, Mikel também tinha usado suas redes sociais para criticar a postura da Süper Lig: “Há mais na vida do que futebol. Não me sinto confortável e não quero jogar futebol nesta situação. Todos deveriam ir para casa ficar com suas famílias e entes queridos neste momento crítico. A temporada deveria ser cancelada porque o mundo está lidando com momentos turbulentos”.

A Turquia confirmou o seu primeiro caso de coronavírus na quarta-feira da última semana. Desde então, os infectados se multiplicam e chegaram a 98 nesta quarta, com uma morte confirmada. Mais cedo, o presidente Recep Tayyip Erdogan anunciou uma série de medidas preventivas, que inclui a ordem para que a população fique em casa e a proibição de voos vindos de 20 países, bem como uma injeção na economia para evitar a quebra de empresas e o aumento na taxa de desemprego.

Apenas depois dos anúncios feitos pelo governo é que a federação turca decidiu se reunir, para discutir os rumos da Süper Lig e aprovar uma possível suspensão. A pressão dos jogadores aumentou nas últimas horas, com mais postagens nas redes sociais. Nomes de relevo, como Fernando Muslera e Radamel Falcao García, publicaram mensagens criticando a continuidade do campeonato diante da curva ascendente de contaminação. Paralisar é a decisão mais lógica – ainda que tardia.