A trajetória de Thierry Henry como treinador do Monaco está por um fio. O antigo ídolo alvirrubro chegou ao clube sob muitas expectativas, tentando chacoalhar o elenco para evitar os riscos de rebaixamento na Ligue 1. Não conseguiu. E diante das derrotas acachapantes nas últimas apresentações, a continuidade do comandante começou a ser questionada. A gota d’água aconteceu nesta quinta-feira, quando o técnico veio a público criticar parte de seus jogadores, afirmando que eles seriam relegados ao segundo quadro. Assim, a diretoria resolveu agir e anunciou o afastamento do veterano até segunda ordem. Segundo a imprensa local, todavia, esta é apenas uma cortina de fumaça prévia à demissão e Henry já teria deixado a agremiação.

“O Monaco anuncia que decidiu suspender Thierry Henry de suas funções como treinador da primeira equipe, a partir de hoje e aguardando uma decisão final. Franck Passi irá treinar o grupo profissional a partir desta sexta-feira”, apontou o clube, em nota oficial. Conforme os jornalistas franceses e ingleses, já existem sondagens da diretoria em busca de um novo treinador. Impressionantemente, o favorito seria Leonardo Jardim, demitido durante o primeiro turno da Ligue 1 por seus maus resultados.

Nesta quinta, Henry deu uma ácida entrevista, em que anunciou o banimento de “vários jogadores” do elenco do Monaco. Segundo o treinador, “eles estão pensando apenas em seu próprio futuro”, sem considerar a situação claudicante da equipe. O problema é que sua medida drástica não foi bem aceita pela diretoria e, aparentemente, ela se tornou uma desculpa para a própria saída do comandante.

Há três meses no cargo, Henry comandou o Monaco ao longo de 20 partidas. Conquistou apenas quatro vitórias neste intervalo, duas delas pela Ligue 1. Nos últimos sete compromissos, o único triunfo havia ocorrido contra o Canet Roussillon, adversário da quinta divisão na Copa da França. Além disso, em suas duas últimas apresentações, os monegascos foram goleados por 5 a 1 em casa contra o Strasbourg, bem como acabaram despachados na copa pelo Metz, atualmente na Ligue 2. A equipe soma 15 pontos no Campeonato Francês, a três de deixar a zona de rebaixamento, embora os sinais de reação fossem parcos.

O trabalho como assistente de Roberto Martínez na seleção belga deu projeção a Henry. Elogiado por sua participação na Copa do Mundo, ganhou a chance no Monaco. Entretanto, não conseguiu transmitir a sua filosofia de jogo a um time bagunçado e claramente sem confiança. Certamente os desfalques por lesão atrapalharam bastante, com os alvirrubros escalando diversos garotos neste período, mas as atuações ruins não se limitavam a isso. A movimentada janela de transferências em janeiro prometia o fortalecimento do grupo. De qualquer maneira, as rusgas se tornara públicas e a postura agressiva do veterano nas últimas entrevistas enfatizava esta quebra de confiança. Resta saber o quanto o fracasso no principado afetará sua carreira à beira do campo. A primeira impressão acaba de péssima maneira.