Contratado por £ 30 milhões, Erik Lamela foi o jogador mais caro da história do Tottenham quando chegou da Roma, em 2013 – já foi superado por Davinson Sánchez. Demorou para engrenar, mas havia emendado duas boas temporadas no norte de Londres, antes de uma lesão no quadril o tirar de ação por mais de um ano. Ele conseguiu retornar, no fim do ano passado, e ajudou Mauricio Pochettino na reta final dos campeonatos que os Spurs disputaram. Nesta sexta-feira, renovou o seu contrato até 2022 e espera que a próxima campanha seja um recomeço para a sua carreira na Inglaterra. 

LEIA MAIS: Kane renova com o Tottenham e amplia a onda positiva rumo ao futuro do clube

Lamela, 26 anos, foi um dos muitos jogadores contratados com a grana da venda de Gareth Bale para o Real Madrid. Sua primeira temporada no Tottenham foi interrompida na metade por uma lesão nas costas. Em seguida, ele teve duas boas campanhas com os Spurs, antes de sofrer com o físico novamente. Um problema no quadril o tirou de ação em outubro de 2016. O retorno demorou 13 meses. Lamela voltou a jogar apenas em novembro do ano passado. Atuou 33 vezes na última temporada, mas apenas 12 desde o início. 

Mostrou que estava recuperado na última rodada da Premier League, ao marcar duas vezes na vitória do Tottenham por 5 a 4 sobre o Leicester, justamente o clube contra o qual voltou de lesão, no final de 2017. Recebeu um novo contrato de quatro anos, e espera retribuir a prova de confiança dos Spurs ajudando a equipe a conquistar títulos no futuro. 

“É difícil ficar machucado, especialmente por tanto tempo, mas nunca desisti”, afirmou, ao site oficial do clube inglês. “Tudo está no passado agora. Ser forte mentalmente me ajudou muito e estou preparado para jogar e me divertir. Estou treinando duro todos os dias para estar pronto para o primeiro jogo. Espero continuar assim, sem lesões, a temporada inteira. Estou confiante que esta temporada será boa para mim e para o time também. Eu amo este clube, estou feliz aqui. Temos um bom relacionamento”. 

Quem também renovou contrato com o Tottenham foi Heung-min Son. Seu novo vínculo vale até 2023. Para cumpri-lo, o sul-coreano ainda precisa se livrar do serviço militar obrigatório, que teoricamente começa na metade de 2020 e dura dois anos. A última chance é a disputa dos Jogos Asiáticos, entre 14 de agosto e 1º de setembro. Son precisa ser campeão e foi convocado como um dos três jogadores com mais de 23 anos que são permitidos no torneio. Como não se trata de uma data Fifa, os Spurs não têm obrigação de liberá-lo e ainda não confirmaram se o farão, mas o técnico do time sub-23 da Coreia do Sul afirmou que Son “definitivamente jogará”, embora ainda não saiba a data de apresentação do atleta.