Em um jogo mais equilibrado do que se esperava, a Roma ficou em um empate com o Barcelona em casa por 1 a 1. O empate não é um bom resultado porque foi em casa, mas, por outro lado, o adversário pode ser considerado o melhor time do torneio. Mais do que o golaço de Florenzi, que empatou o jogo, a Roma tem motivos para se animar. Mostrou que tem condições de enfrentar times fortes como os catalães, atuais campeões da Champions League e, em um grupo que tem Bayer Leverkusen e Bate, tem tudo para brigar bem pela segunda vaga.

LEIA MAIS: Guia da Champions League 2015/16
– A Inglaterra pode perder uma vaga na Champions e isso não é tão difícil

Desde o começo, o domínio da bola foi do Barcelona. O time pode não ser de tanto toque de bola como na época de Pep Guardiola, mas o time de Luis Enrique também gosta de manter o domínio do adversário desta forma, ainda que menos pacientemente – até pela característica de seus jogadores atuais, Neymar e Suárez e até Rakitic. O gol marcado por Suárez aos 21 minutos do primeiro tempo até deu a impressão que, a partir dali, o jogo mudaria. Mas depois de alguns minutos, voltou a ficar equilibrado.

O Barça teve mais de 70% de posse de bola, mas isso não implicou no time jogar melhor que o adversário. A Roma se abalou nos minutos após levar o gol, mas logo voltou a equilibrar o jogo. E embora as melhores chances tenham sido do Barcelona, a Roma também teve as suas, especialmente atuando em velocidade. Florenzi, o grande nome romanista da noite, tentou outro gol de fora da área, mas em um chute de pé esquerdo, que não é o melhor, e errou.

Individualmente, o Barcelona não fez uma grande partida. Nem seus três atacantes conseguiram ter uma atuação digna de nota. O coletivo funcionou não mais do que o habitual, a defesa não comprometeu e o jogo ficou mais ou menos igual. Ao final da partida, o Barcelona tinha 74% de posse de bola contra 26% da Roma, mas esse é um indicativo ruim para a partida. Em chutes, por exemplo, foram 12 dos catalães contra oito da Roma. Uma diferença que não é tão grande assim.

Considerando que o Barcelona é o time mais forte do grupo, a Roma pode não achar tão ruim assim o empate. Na próxima rodada, terá o Bate Borisov fora de casa, podendo golear e conseguir três pontos. Depois, terá o Leverkusen em Roma, o que deve ser o jogo chave do grupo. A essa altura, será possível traçar o que poderá ser o destino dos giallorrossi, mas as perspectivas são boas, considerando que a disputa pela vaga de fato é com o Bayer Leverkusen. Perder na BayArena, na quarta rodada, pode significar a perda de uma vaga no mata-mata. Aos blaugranas, não fica muita preocupação. Na próxima rodada o time enfrenta o Leverkusen em casa, antes de jogar com o Bate Borisov. A classificação deve vir de forma bastante tranquila.

Se as atuações individuais do Barcelona não chamaram a atenção, na Roma não foi muito diferente. O destaque, claro, foi Florenzi, principalmente pelo golaço no primeiro tempo. O técnico Rudi Garcia até tentou aproveitar a velocidade de Iturbe no segundo tempo, quando o colocou no lugar de Iago Falque, apagado. Acabou não dando certo. Mesmo assim, as perspectivas são boas. O time terá que manter regularidade para conseguir vencer o Leverkusen.

Veja os gols: