Ao ficar sem contrato com o Melbourne Victory, da Austrália, Keisuke Honda ofereceu-se para jogar pelo Manchester United. “Façam-me uma oferta. Não preciso de dinheiro”, escreveu no Twitter. O desejo por mais uma passagem pela Europa antes de pendurar as chuteiras se concretizou, mas não em Old Trafford. O japonês de 33 anos assinou contrato até o final da temporada com o Vitesse.

Será o retorno de Honda à Holanda, sua porta de entrada ao futebol europeu. Em em 2008/09, conseguiu o acesso à Eredivisie com o VVV-Venlo, antes de se transferir ao CSKA Moscou, clube em que ganhou maior destaque. Passou pelo Milan e pelo Pachuca antes de aterrissar no Melbourne Victory.

Seu último jogo foi em maio, contra o Sanfrecce Hiroshima, pela Champions League asiática. Ele fez 24 jogos na temporada australiana, com oito gols e sete assistências.

“Faz tempo desde que joguei na Holanda. Espero que os fãs de futebol holandeses ainda se lembrem de mim. Enfim, farei tudo para impressionar. Quero ser importante para o time e estou ansioso para jogar no estádio e para conhecer os torcedores. Também é um bom extra que, depois do VVV-Venlo, eu possa vestir de novo o amarelo e preto”, disse, ao site do Vitesse.

Como Honda está sem contrato, o Vitesse não precisa esperar a abertura da janela de janeiro para concretizar a transferência e deve contar com ele a partir do fim da próxima data Fifa.

O clube holandês também fez questão de assegurar que Honda continua com seu trabalho paralelo como treinador do Camboja, embora agora ele vá juntar muito mais milhas de viagem para conciliar as duas funções.