Aos 32 anos, Schweinsteiger tenta provar seu valor com a camisa do Chicago Fire

Basti assinou um contrato de um ano com a franquia da Major League Soccer

Bastian Schweinsteiger foi corajoso em abrir a porta de Säbener Strasse e deixar o Bayern de Munique em busca de um desafio no Manchester United. Na Baviera, Basti tinha uma titularidade e uma idolatria garantidas, além de a certeza de que enfileirar troféus e mais troféus não seria difícil a cada temporada. Em Manchester, porém, tudo mudou para Basti. Desde o começo, quando decidiu ir para lá tentar brigar por espaço no time e títulos, ele contava com incertezas. Mas certamente não esperava que fosse participar tão pouco dos jogos e ao menos ser relacionado para a maioria das partidas desta temporada. Agora, no Chicago Fire, seu novo clube, Schweini tentará provar seu valor. Afinal, ele ainda tem 32 anos, e, como ele bem mostrou em sua última aparição com a camisa dos Red Devils, ele ainda pode dar um bom caldo.

LEIA TAMBÉM: Quem acha que a MLS é uma liga para vir se aposentar nunca viu um jogo, diz Villa

Nesta terça, a franquia da Major League Soccer anunciou Schweinsteiger como reforço para esta temporada. “Bastian Schweinsteiger é um dos maiores campeões do esporte. Estamos entusiasmados para que fãs de futebol de todos os lugares tenham a oportunidade esse grande jogador ao longo da 20ª temporada do Fire na liga”, disse Andrew Haumptman, presidente do clube, em comunicado que anuncia a contratação do meia. O negócio de um ano foi um furo do Chicago Tribune, jornal local que cravou a ida de Basti para o time de futebol da cidade. Por sua história, trajetória, títulos conquistados, credibilidade, moral e valor de mercado, o alemão foi contratado como jogador designado, que é aquele atleta que pode receber salários superiores ao do resto do elenco e ao limite estipulado pela MLS. E fontes próximas ao Fire falam em algo em torno de US$ 4,5 milhões pelo ano que ele ficará em Chicago.

“Ao longo da minha carreira, eu sempre procurei oportunidades em que eu esperava poder fazer um impacto positivo e ajudar a fazer algo grande”, declarou Schweini no comunicado da contratação feito pela franquia. “E minha transferência para o Chicago Fire não é diferente disso. Com as conversas que tive com Nelson Rodriguez (executivo do Fire) e Pauno (Veljko Paunovic, o treinador da equipe), eu estou convencido da visão e da filosofia do clube, e quero ajudá-los nesse projeto”, falou ainda ele, que é o terceiro jogador vencedores de uma Copa do Mundo a jogar na MLS. O primeiro foi David Villa, campeão com a Espanha em 2010, e o segundo foi Andrea Pirlo, com a Itália, em 2006.

Basti aterrissa no Toyota Park depois de uma rodada trágica para o Fire. A equipe de Illinois sofreu uma goleada de 4 a 0 no último final de semana para o Atlanta United, franquia em expansão na Major League Soccer, fora de casa. Sua chegada, claro, instantaneamente amornou o clima no Fire. O técnico Paunovic acredita que o alemão será “um grande exemplo de campeão no vestiário”, e que “ele ainda é alguém que pode mostrar resultados em campo e mostrar aos mais jovens como jogar, como se preparar para as partidas, como se comportar, como pensar e como trabalhar em conjunto para se alcançar um alto nível”. Será uma troca interessante. Ao passo em que Schweini será um espelho para os talentos em ascensão, o Fire dará o tempo e o espaço necessários para o meia se refazer como o grande atleta que ele já é há tempos.

Com isso, Schweinsteiger deixa para trás sua passagem pelo United. E demonstrando gratidão pelo clube pelas redes sociais. Ainda que tenha sido prejudicado por algumas lesões durante ela, não foi só isso que o deixou de escanteio nesta temporada. “Basti pode produzir coisas que poucos jogadores no mundo conseguem. Ele tem uma visão (de jogo) que ninguém mais tem. Ele abre os olhos dos torcedores e você pode ouvir as pessoas dizerem ‘wow!'”, expressou Paunovic. Sem jogar desde o fim de janeiro, Basti está em forma e se adaptará rápido a tudo no novo clube graças a sua capacidade, como confia o técnico. Caso a parte física do jogador esteja nos conformes e seu visto seja autorizado, o alemão pode entrar em campo já na próxima semana, contra o Montreal Impact.