A Real Sociedad faz uma campanha morna no Campeonato Espanhol. Ocupa atualmente o oitavo lugar e precisa de uma combinação de resultados para se garantir na próxima edição da Liga Europa. Ainda assim, os bascos conquistaram a vitória mais notável da penúltima rodada de La Liga. Os txuri-urdin receberam o Real Madrid em Anoeta e, de virada, bateram os merengues por 3 a 1. O placar, na verdade, é até magro. Os anfitriões jogaram bem mais durante os 90 minutos e contaram com uma atuação de gala de seus garotos – sobretudo o atacante Ander Barrenetxea, de apenas 17 anos.

O Real Madrid até ensaiou uma vitória no País Basco. Aos seis minutos, Brahim Díaz abriu o placar aos merengues com um belo gol. No entanto, a Real Sociedad buscava muito mais o ataque e seria premiada com o empate aos 26. Um minuto após um tento dos bascos anulado por impedimento, Mikel Merino sublinhou a motivação de sua equipe, finalizando uma bela troca de passes. E a situação dos madridistas ficou pior aos 39. Jesús Vallejo salvou uma bola em cima da linha com a mão, o que rendeu um pênalti e a expulsão do zagueiro. Thibaut Courtois até defendeu a cobrança de Willian José, mas o time de Zinedine Zidane sentiria a desvantagem numérica durante o segundo tempo.

Na etapa complementar, só deu Real Sociedad. Os txuri-urdin eram muito mais incisivos no ataque, contando com a juventude de talentos como Barrenetxea. O ponta de 17 anos já tinha feito algumas boas apresentações pelo clube, mas nada tão impressionante quanto neste domingo. Bagunçava a defesa merengue pelo lado esquerdo. Joseba Zaldua anotou o segundo, em cabeçada firme, e Barrenetxea fechou a contagem, aproveitando o rebote de uma bola na trave de Mikel Oyarzabal. No final, Adnan Januzaj ainda carimbou o poste mais uma vez.

Cheio de garotos, o Real Madrid oscila demais. Alguns até mostram serviço rumo à próxima temporada, mas o trabalho dos merengues no mercado de transferências deve ser intenso. A equipe realmente vai terminar a campanha na terceira colocação, longe de alcançar o Atlético de Madrid. Já a Real Sociedad, com 50 pontos, tenta uma combinação de resultados para ir à Liga Europa. Precisa ganhar do Espanyol fora de casa e torcer por uma derrota do rival Athletic Bilbao, que visita o Sevilla. Os Leones chegaram aos 53 pontos, após anotarem 3 a 1 no Celta de Vigo, mas possuem a desvantagem no confronto direto com os txuri-urdin. Além disso, se perderem e o Espanyol ganhar, os alvirrubros também serão ultrapassados pelos catalães, com os mesmos 50 pontos da Real.

Em outro duelo deste domingo, o Barcelona se despediu da torcida no Camp Nou com vitória. Após a decepção em Anfield no meio de semana, os blaugranas anotaram 2 a 0 sobre o Getafe. Arturo Vidal e Mauro Arambarri (contra, numa dividida com Lionel Messi) balançaram as redes para o mistão do Barça. O time de Ernesto Valverde chegou aos 86 pontos, 11 a mais que o Atlético de Madrid, que empatou com o Sevilla por 1 a 1 no Wanda Metropolitano. O encontro marcou a despedida de Diego Godín da torcida – que será detalhada em outro texto aqui na Trivela, ainda neste domingo.

O Getafe, por sua vez, saiu da zona de classificação à Champions. O Valencia tomou a quarta colocação, ao bater o Alavés por 3 a 1 no Mestalla. Carlos Soler, Santi Mina e Kevin Gameiro anotaram os gols dos Ches. Os valencianos chegam aos 58 pontos, igualados aos madrilenos, mas possuem vantagem no confronto direto. O Sevilla, com 56, corre por fora. Na rodada final, O Getafe recebe o Villarreal no Coliseu Alfonso Pérez, o Valencia visita o Valladolid e o Sevilla, como supramencionado, encara o Athletic Bilbao na Andaluzia.

Por fim, vale destacar ainda o respiro aliviado de vários times que corriam o risco de rebaixamento. Villarreal, Levante e Valladolid comemoraram a permanência com vitórias. Depois das quedas de Rayo Vallecano e Huesca, o maior candidato a ficar com a última vaga na segundona é o Girona. Os catalães perderam em casa para o Levante, de virada, por 2 a 1. Com 37 pontos, precisam ganhar do Alavés na rodada final, torcer para uma derrota do Celta em casa contra o Rayo e ainda tirar uma diferença de seis gols no saldo. Praticamente impossível.