Se há um rei simbólico em Barcelona, ele atende por Lionel Andrés Messi. Craque, capitão, símbolo do barcelonismo, das badaladas canteras de La Masía, de um estilo de jogo do Barça – mesmo que tudo isso sejam ideias que nem sempre encontram correspondências com a realidade. Só que o futebol é feito, antes de tudo, de fantasia. E o que os torcedores viveram neste sábado no Camp Nou tem muito disso. E a fantasia vivida pelos blaugranas atendeu por outro nome: Ansu Fati, 16 anos, atacante, nascido em Guiné-Bissau, vindo da base do Barcelona. Foi ele o grande nome de uma goleada por 5 a 2 sobre o Valencia, por La Liga.

O Barcelona não tinha seus dois principais jogadores, um parcial e outro totalmente. Messi segue machucado e assistiu ao jogo das tribunas. Luis Suárez ainda se recupera e, por isso, começou a partida do banco de reservas. Por isso, o ataque do Barcelona teve um nome estelar, Antoine Griezmann, e outros dois garotos: Carles Pérez, 21 anos, e Ansu Fati, 16 anos.

Foi justamente Ansu Fati, um garoto de Guiné-Bissau, que brilhou. E rapidamente. Logo a dois minutos, em uma jogada que o Barcelona trabalhou nos primeiros dois minutos, bola para Frankie De Jong e o meia holandês cruzou rasteiro para a área, onde Ansu Fati chegou rasgando para chutar e estufar a rede, bonito: 1 a 0. O garoto marca o seu primeiro gol no Camp Nou e comemorou muito, sorrindo, abraçado por diversos companheiros.

Só que ele não estava satisfeito. Aos sete minutos, veio outro lance, desta vez pela ponta. Ele recebeu nas costas do lateral e partiu para cima do zagueiro Ezequiel Garay, passou por ele e cruzou rasteiro, rápido, para a área. Desta vez os papéis se inverteram: foi De Jong que chegou como uma flecha para completar e marcar 2 a 0. Em menos de sete minutos, Ansu Fati já tinha um gol e uma assistência na partida. O Valencia diminuiria aos 28 minutos. Um passe de Rodrigo Moreno para Kevin Gameiro, que diminuiu para 2 a 1. Foi o placar do intervalo.

O início do segundo tempo teve um gol curioso. Carles Pérez chutou forte da entrada da área, o goleiro Jasper Cillenssen (sim, aquele, ex-Barcelona) tocou, a bola bateu na trave e voltou nos pés de Gerard Piqué, que estava ali tal qual um centroavante para aproveitar a sobra.

O jogo, então, ganhou novos contornos aos 15 minutos do segundo tempo, quando Ansu Fati deixou o gramado. O jovem deu lugar a Luis Suárez, enfim, voltando de lesão e ganhando minutos para o jogo de meio de semana, contra o Borussia Dortmund, pela Champions League. E o uruguaio entrou inspirado. Foi com ele que o Barcelona transformou uma vitória que era tranquila em uma goleada.

Com um minuto em campo, o camisa 9 recebeu, na entrada da área, e ajeitou o corpo para chutar. O chute pareceu fraco, mas foi muito no canto, tocou a trave e entrou. Um gol de muita precisão de Suárez. Já aos 37 minutos, depois de um bate e rebate dentro da área, Griezmann ajeitou para Suárez bater de primeira, ampliando e fechando o placar: 5 a 1.

No final do jogo, já com o ritmo mais lento, o Valencia ainda conseguiu diminuir. Depois de cruzamento, Denis Cheryschev recebeu pela esquerda e cruzou rasteiro para Maximiliano Gómez, que completou de primeira. O placar, então, ficou em 5 a 2, mas era tarde para qualquer reação, já que eram 47 minutos do segundo tempo.

O Barcelona ainda não sabe se poderá contar com Messi para o jogo de meio de semana. Mas já sabe que tem no elenco jogadores que podem ser úteis, como Carles Pérez e, principalmente, Ansu Fati. O garoto irá completar 17 anos em outubro, ainda muito jovem, mas mostrou qualidades que chamam muito a atenção. Velocidade, precisão e força na finalização, drible, tomada de decisão inteligente. Ainda é cedo para saber qual é de fato a sua capacidade, mas os sinais para a torcida são ótimos. Ansu Fati faz os torcedores sonharem. E o que é o futebol se não é uma fábrica deliciosa de emoções?

Standings provided by Sofascore LiveScore