Patrice Evra e Luis Suárez foram personagens principais de um dos episódios mais graves da Premier League nos últimos anos. O então lateral do Manchester United acusou o ex-atacante do Liverpool de racismo. Embora tenha negado as ofensas, o atacante foi considerado culpado pela Football Association, que o puniu com oito jogos de suspensão, além de multa de £40 mil. Já no encontro seguinte, Suárez se recusou a apertar as mãos de Evra, pedindo depois desculpas, ao lado do técnico Kenny Dalglish. Em sua biografia, publicada em 2014, Luisito atribuiu o imbróglio como um erro de compreensão do idioma espanhol, afirmando que se tornou uma “mancha em seu caráter”. Já em 2015, ambos voltaram a se cumprimentar, antes da decisão da Liga dos Campeões, entre Barcelona e Juventus.

O caso parece fazer mesmo parte do passado para Evra. Nesta quinta-feira, após Suárez receber a Chuteira de Ouro por ter sido o maior goleador de uma liga europeia na última temporada, o francês congratulou o uruguaio através de seus Instagram. Postou a fotografia do atacante, com a seguinte legenda: “No meu Instagram só existe amor, ódio nunca! Luis, você é um grande jogador e o melhor número 9. Felicidades! Eu amo esse esporte! Hahaha”.

A postura de Evra, naturalmente, gera debate. Mas é importante ressaltar que, ao se sentir ofendido, o defensor levou o caso às autoridades cabíveis, com uma punição desportiva considerável sobre Suárez. E se o francês decidiu pelo perdão, resta respeitá-lo pela altivez. Nos comentários da foto, muitos fãs elogiaram Evra pela atitude. Que assim seja: com a tolerância e a compreensão prevalecendo, sempre.