O Göztepe carrega consigo um pioneirismo que nenhum outro clube turco pode encher a boca para falar: foi o primeiro representante do país a atingir as semifinais de uma competição continental. Em 1968/69, caiu para o Újpesti na Taça das Cidades com Feiras, precursora da Copa da Uefa. Apenas Galatasaray e Fenerbahçe igualariam o seu feito. Anos de ouro para o representante da cidade de Izmir, visto como a quarta força nacional na época, faturando ainda o bicampeonato da Copa da Turquia e chegando às quartas de final da Recopa Europeia em 1970. Já nesta semana, os aurirrubros ganham um novo motivo para se orgulhar, mesmo que tenha custado noites de sono. Após passarem pela quinta divisão, uma década depois retornam à elite do Campeonato Turco. E carregando sempre o apoio de sua fanática torcida.

Apesar da relevância nacional até meados da década de 1970, o Götzepe deixou de frequentar a elite na virada para os anos 1980. No máximo, teve algumas aparições esporádicas, mais acostumado à segundona. A última ascensão aconteceu no início do século, entre 2001 e 2003. Contudo, a queda depois disso seria súbita. Sofrendo com uma grave crise financeira, o clube acumulou quatro rebaixamentos em cinco temporadas. Chegou ao fundo do poço em 2007/08, atingindo a quinta divisão, amadora e regionalizada. Foi quando começou a reconstrução, impulsionada por novos donos e apoiada por seus fiéis torcedores.

Desde então, o caminho tem sido tortuoso, mas o Götzepe sobe degrau após degrau. Foram cinco anos até retornar à segundona, vivendo ainda na gangorra com a terceirona. Na temporada passada, ficou de vez. E deu o passo decisivo nos últimos meses, mesmo sem ser visto como um dos favoritos à elite. Sivasspor e Yeni Malatyaspor conquistaram o acesso direto na segunda divisão. Quinto colocado na temporada regular, o clube de Izmir precisou disputar os playoffs. Passou primeiro pelo Boluspor, até a decisão contra o tradicional Eskisehirspor, também dono de uma massa numerosa e fanática.

O jogo do acesso foi disputado na cidade de Antália, neste domingo. Rebaixado na temporada passada, o Eskisehirspor possui um elenco bem mais tarimbado, encabeçado por Bruno Mezenga e pelo sueco Erkan Zengin, presente na última Eurocopa. E não demorou para os favoritos sublinharem sua força no placar, abrindo a contagem no início do segundo tempo, com o nigeriano Chilekuba Ofoedu. Entretanto, o Göztepe manteve a perseverança e conseguiu arrancar o empate aos 50 do segundo tempo, graças ao macedônio Adis Jahovic. Após o placar prevalecer na prorrogação, os aurirrubros levaram a melhor nos pênaltis, com a vitória por 3 a 2.

O que se viu então foi a comemoração ensandecida de uma torcida que não abandonou a fé mesmo nos momentos mais difíceis. De volta à elite, poderão encher com frequência o Estádio Doganlar, com capacidade para 12,5 mil espectadores. Pelo que passaram ao longo dos últimos 10 anos, esse será um enorme prazer.