Assim como o Villarreal dificultou a vida do Barcelona em um jogo de oito gols, o Girona engrandeceu a vitória do Atlético de Madrid com uma atuação corajosa. Mas o gigantismo de Diego Godín tirou o Atleti do marasmo e Antoine Griezmann decretou que ainda há disputa em La Liga.

No Wanda Metropolitano, o Girona não se intimidou e ditou os caminhos da partida no primeiro tempo desde os primeiros instantes, fazendo com que Jan Oblak tivesse que apresentar o máximo de seus atributos, em duas cabeçadas perigosíssimas de Seydou Doumbia. O Atlético até que construiu muitas jogadas, mas foi ineficaz nas finalizações, acertando apenas um único chute no gol.

A demora em reagir às situações adversas, comprovadas da pior forma na Champions League, voltou a assombrar o Atlético de Madrid com a atuação da primeira etapa. Mas dessa vez, Diego Simeone não pensou duas vezes em tentar alcançar um resultado diferente. Já na volta do segundo tempo a equipe voltou melhor, mas ainda assim precisava de algo mais. Simeone, então, tirou Thomas para a entrada de Angel Correa, no intuito de dar mais mobilidade ao time e em seguida promoveu a entrada de Vitolo no lugar de Filipe Luís, conseguindo criar mais dando trabalho ao experiente goleiro Gorka Iraizoz.

E quando o tempo já começava a se afunilar, aos 31 minutos, Godín mais uma vez apareceu como o ponto de desequilíbrio, não bastando ser uma fortaleza defensiva, mas atacando com o vigor de um guerreiro incansável. Com o Atlético todo na área de ataque, Vitolo arriscou o chute, a bola desviou, e ao tentar afastar, Iraizoz dividiu com Griezmann e a bola caiu na cabeça de Godín, completamente sozinho e com a meta aberta, marcando um gol, posteriormente confirmado pelo VAR, que deu a vantagem para o Atleti, mas não diluiu a tensão, que só morreu nos acréscimos. Quando os visitantes tentavam um último ataque, o contragolpe foi armado com o Girona completamente vulnerável, e Griezmann recebeu passe de Vitolo, percorreu 20 metros e deu um toque de cobertura que ainda os permite sonhar. A oito pontos de distância do líder Barcelona, o próximo destino é justamente o Camp Nou.