A decisão da Liga dos Campeões de 2005 deixou marcas indeléveis. Foi um jogo tão marcante que, se você assistiu, provavelmente se lembra de onde estava e de qual era a impressão ao ser testemunha da reação inimaginável do Liverpool. Treze anos depois, um daqueles atônitos em frente à televisão estará em campo, com a camisa vermelha, defendendo a honra do clube no Estádio Olímpico de Kiev. Ainda assim, não se esquece do que viu naquela noite em Istambul. Sadio Mané tinha 13 anos na época e vivia em Bambali, um pequeno vilarejo no Senegal, às margens do Rio Casamansa. Desta vez, mandou 300 camisas dos Reds para que outros jovens locais sonhem parecido e torçam para o conterrâneo ilustre.

“Eu me lembro daquele jogo. Três gols de vantagem, e então 3 a 3. Essa é uma grande memória para mim. Estava assistindo ao jogo na minha aldeia. Eu me lembro de estar com um grande amigo, que ficou fora de si com a derrota por 3 a 0. Ele parou de assistir e começou a correr como um maluco para longe. Quando ele voltou ao final, não podia acreditar. Até hoje ele não acredita. Chegou depois da final e o Liverpool havia vencido nos pênaltis”, relembra Mané. “Na época, eu não torcida para o Liverpool, eu gostava do Barcelona. Se você dissesse para mim que eu jogaria a final, te responderia que é algo incrível em minha vida”

Mané, inclusive, fez uma promessa ao amigo de infância que fugiu da derrota há 13 anos: “Eu falei com ele ontem, é um grande torcedor do Liverpool. Continua vivendo em Senegal, seu nome é Youssouph Diatta. Ele me pediu para que não deixássemos abrirem 3 a 0 desta vez. Ninguém no vilarejo trabalhará neste sábado. Minha família continua morando lá, minha mãe e meu tio. Eles todos assistirão, são duas mil pessoas. Comprei 300 camisas para que assistam à final. Voltarei lá depois da Copa do Mundo e espero mostrar a todos a medalha de campeão”.

Por fim, Mané reiterou sua confiança para o encontro: “Será bom para o futebol se vencermos, pela maneira como jogamos. Não posso dizer que a maioria das pessoas querem isso, porque os torcedores do Real Madrid pensam diferente. Talvez todos que não são torcedores de Real Madrid, Everton, United e City nos apoiem. Acho que muita gente gostaria de ver o Liverpool com a taça. O Real Madrid vem de dois títulos. Respeitamos eles como um grande time, mas o Liverpool também tem história. Não será fácil, mas faremos nosso melhor. Estou pensando como é incrível estar na final, não na pressão. Estou feliz e empolgado. É o melhor momento para o elenco. Estamos em boa forma, não há cansaço. Este tipo de jogo não acontece sempre e é um dos mais importantes da carreira. Eles têm experiência e são um dos melhores times do mundo, mas temos qualidade e podemos bater qualquer um”.


Os comentários estão desativados.