Presente na última Copa do Mundo e nas últimas 13 edições da Copa Africana de Nações, a Tunísia não conseguiu estrear vencendo no Egito. Nesta segunda-feira, encontrou a forte resistência de Angola, de volta ao torneio continental pela primeira vez desde 2013. Embora tenha saído à frente, com um gol de pênalti de Youssef Msakni, os angolanos melhoraram no segundo tempo e conseguiram o empate por 1 a 1 em Suez, cortesia de Djalma.

Tunísia decepciona

A Tunísia é favorita para vencer o grupo, e isso ainda pode acontecer nas rodadas finais contra Mali e Mauritânia, mas a estreia foi decepcionante para a seleção que fez um bom papel na Copa da Rússia. Contra Angola, faltou inspiração e impor o seu estilo de jogo de toque de bola. No fim das contas, Angola ficou até mais tempo com a posse – 50,5% a 49,5% – e as finalizações foram divididas: nove a nove, com o goleiro tunisiano Ben Mustapha precisando fazer mais defesas do que o seu correspondente angolano (2 a 1).

E soltando uma bola que não deveria

Ainda assim, graças ao pênalti, a Tunísia abriu o placar, aos 34 minutos do primeiro tempo, e segurou a vantagem até meados da etapa seguinte. Segurou melhor que Mustapha. O chute rasteiro de Mateus foi defendido pelo goleiro da Tunísia, mas o rebote ficou na entrada da pequena área. Djalma apareceu voando para marcar o gol de empate.

Khazri perde grande chance

Com 15 minutos para tentar salvar os três pontos, era de se imaginar que a Tunísia aumentasse a pressão. Mas não aumentou muito. Teve apenas um par de chances, a melhor delas com o camisa 10, Wahbi Khazri, em boa posição pela esquerda da grande área. Ele tentou um chute colocado no outro canto do goleiro Cabaça, mas errou por pouco.

Ficha técnica 

Tunísia 1 x 1 Angola

Local: Estádio Suez, em Suez
Árbitro: Bamlak Tessema Weyesa (Etiópia)
Gols: Youssef Msakni, pênalti (TUN); Djalma (ANG)
Cartões amarelos: Ghilane Chaalali e Youssef Msakni (ANG); Tony Cabaça (ANG)

Tunísia: Farouk Ben Mustapha; Wajdi Kechrida, Rami Bedoui, Yassine Meriah, Dylan Bronn e Oussama Haddadi; Elllyes Skhiri, Ghilane Chaalali (Ferjani Sassi) e Wahbi Khazri; Youssef Msakni e Naim Sliti (Anice Badri). Técnico: Alain Giresse

Angola: Tony Cabaça; Bruno Gaspar, Dani Massunguna e Bastos Quissanga; Mateus (José Macaia), Stélvio (Geraldo), Herenilson de Carmo, Salomão Paizo e Wilson Eduardo (Gelson); Djalma e Fredy. Técnico: Srdjan Vasiljevic