Encontrar algum clube na elite do futebol inglês que gostaria de ter Andy Carroll não era tarefa fácil. Após seis anos marcados por lesões, o centroavante estava sem time ao encerrar seu vínculo com o West Ham no final da temporada passada. Não só Carroll nunca chegou a cumprir o potencial que alguns esperavam dele após sua saída do Newcastle em 2011, como também o jogador se tornou uma grande incógnita ambulante. Apenas um destino poderia fazer algum sentido na Premier League – e é justamente para lá que vai o atacante. O próprio Newcastle anunciou nesta quinta-feira (8) a volta de seu jogador.

Mesmo para os Magpies a contratação de Carroll poderia não fazer muito sentido, mas são justamente os termos com que ela foi feita que tornam a aposta válida.

O jogador assinou um contrato de um ano com o clube que o revelou e irá ganhar um salário-base relativamente baixo, segundo a imprensa inglesa retrata. Algo levemente superior ao que ganhava lá em 2011, antes de ir ao Liverpool. Sua remuneração será então completa por variáveis de acordo com desempenho. Ou seja, parte significativa dos ganhos do atleta estará diretamente condicionada ao número de jogos e gols feitos por Carroll.

A precaução do Newcastle faz muito sentido, e não só por questão esportiva. Hoje com 30 anos, Carroll fez apenas 26 gols nos últimos seis anos de Premier League com o West Ham. Número baixo, mas que está estreitamente ligado a seus problemas de lesão.

O atleta participou de apenas 102 partidas do Campeonato Inglês nas seis temporadas anteriores, uma média de 17 por temporada. Pegando um recorte mais recente, são apenas 25 jogos como titular nas últimas três campanhas.

Mesmo atualmente, o centroavante não poderá de cara entrar em campo pelos Magpies. Passou por cirurgia no tornozelo em abril e ainda está em fase de recuperação. O Newcastle, no entanto, não tem pressa em ter o atacante. Com a saída de Salomón Rondón para a China, o substituto eleito foi o brasileiro Joelinton. Para repor a baixa de Ayoze Pérez, novo jogador do Leicester, chegou Allan Saint-Maximin.

Mais do que um possível reforço no campo, Carroll pode ser um laço interessante entre torcida e clube em meio à tão criticada administração de Mike Ashley. O atacante é um talento local, crescido no condado de Tyne and Wear, alguém que trouxe orgulho ao torcedor quando despontou no clube e que ajudou a reerguer a equipe após o rebaixamento sofrido em 2009. Essa identificação, é claro, não será suficiente para que o jogador seja um sucesso, mas faz do retorno ao clube a melhor decisão que Carroll poderia ter tomado.