Às vésperas do primeiro jogo entre Boca Juniors e River Plate pela semifinal da Libertadores, o goleiro Esteban Andrada atingiu marcas históricas. O camisa 1 xeneize quebrou dois recordes diferentes de minutos sem tomar gols: virou o goleiro do Boca Juniors com o maior tempo sem buscar a bola no fundo das redes em partidas válidas pelo Campeonato Argentino e também assumiu o recorde absoluto do futebol nacional, somando todas as divisões e todas as competições. Foram 1128 minutos imbatíveis do arqueiro.

A quem vê o copo cheio, Andrada se coloca como o melhor goleiro do país no momento e surge como uma barreira imponente contra os millonarios. Entretanto, aos torcedores do River que quiserem ver uma lasquinha vazia, é possível: a invencibilidade terminou justamente neste sábado, após o empate do Boca por 1 a 1 contra o Newell’s Old Boys. Foi o primeiro tento sofrido pelo arqueiro em jogos oficiais desde junho – contando a intertemporada no período.

A última vez que Andrada tinha sido vazado foi na decisão da Copa da Superliga Argentina, logo na primeira semana de junho. O Tigre venceu o Boca por 2 a 0 e ficou com o título. Desde então, a defesa comandada pelo técnico Gustavo Alfaro subiu de rendimento drasticamente. Os xeneizes não sofreram gols nas sete primeiras rodadas do Campeonato Argentino, assim como nos quatro confrontos válidos pelos mata-matas da Libertadores, contra Athletico Paranaense e LDU Quito. O único tento engolido pela equipe desde o início da temporada aconteceu na Copa Argentina, em agosto: o Almagro empatou por 1 a 1 e se classificou nos pênaltis. Contudo, Andrada ficou no banco durante aquela ocasião e preservou seus números.

Símbolo da sequência sustentada pelo Boca Juniors, Andrada foi ultrapassando outros nomes históricos do futebol argentino. Em setembro, depois de segurar o placar zerado no clássico contra o River Plate pelo Campeonato Argentino, ele abocanhou o recorde de invencibilidade xeneize, somando todas as competições. Dentro do Monumental, superou Antonio Roma, que havia passado 781 minutos sem buscar a bola no fundo das redes. Todavia, ainda restavam outras marcas a superar, o que Andrada conseguiu antes de ser vazado pelo Newell’s.

O recorde do Boca Juniors, considerando apenas as partidas do Campeonato Argentino, era de Carlos Fernando Navarro Montoya. O veterano passou 825 minutos sem ser vazado com a camisa xeneize no Apertura de 1992. Somando também 153 minutos em relação à edição anterior da liga, Andrada precisava apenas terminar o primeiro tempo invicto contra o Newell’s e assim se cumpriu. Cravou o novo recorde em 863 minutos, até que Cristian Insaurralde empatasse o jogo aos 35 do segundo tempo. Navarro Montoya parabenizou o sucessor, mas também contestou que a nova marca não foi estabelecida numa mesma edição do torneio.

Além disso, somando todas as competições oficiais, o recorde argentino agora também é de Andrada. Considerando apenas times da primeira divisão, a marca era de Marcos Croce, goleiro do Racing que ficou 1077 minutos sem sofrer gols entre 1920 e 1921. Levando em conta também as divisões de acesso, o sarrafo subia para 1115 minutos, com Alejandro Otamendi, do Tristán Suárez, que figurava na quarta divisão em 1994. Andrada chegou aos 1128 minutos absolutos até o tento de Insaurralde.

Há, todavia, um recorde importante que segue em vigor. Em 1981, pelo Ferro Carril Oeste, Carlos Barisio emendou uma impressionante sequência 1075 minutos sem sofrer gols somente pelo Campeonato Argentino. O desempenho ajudou o Ferro a ser vice-campeão nacional e mantém o veterano no topo da liga nacional por qualquer clube. Os 863 minutos de Andrada acabam como a terceira maior marca da história da liga. O segundo colocado? Franco Armani, do River Plate, que ficou 961 minutos sem tomar gols pelo Campeonato Argentino entre maio e setembro de 2018. Até nisso o clássico respinga.