O técnico Carlo Ancelotti deu uma boa entrevista neste fim de semana, comentando sobre vários assuntos do futebol italiano. Comentou sobre a fracassada negociação do Napoli com o Real Madrid para levar James Rodríguez para a Itália, sobre o mercado do clube, a concorrência com a Juventus na disputa pelo título italiano, a má fase do Milan e também sobre os repetidos incidentes de racismo no país.

James Rodríguez

“Com James, sempre houve a vontade de contratá-lo, mas nós encontramos a resistência do Real Madrid”, afirmou Ancelotti à Radio Anch’io Sport. “Agora ele está jogando por Los Blancos, então não havia possibilidade de contratá-lo, no fim”.

“No geral, tivemos um mercado sensível. Excelentes jogadores chegaram, desde Di Lorenzo até Manolas, Elmas, Llorente e Lozano. Assim como há rotação para os jogadores de linha, há rotação no gol. Ospina tem muita experiência, enquanto Meret é muito bom, mas ainda não tem experiência”, continuou o treinador. “Eu faço a rotação não porque eu amo, mas porque meus jogadores me dão garantias, então a rotação se torna quase automática”.

Concorrência com a Juventus

Um dos tópicos da entrevista foi a pergunta ao técnico se o Napoli conseguiu diminuir a diferença para a Juventus, campeã oito vezes consecutiva. Há sempre a expectativa que o time de Ancelotti possa, enfim, efetivamente brigar pelo scudetto.

“Nós poderemos dizer se nós diminuímos a diferença ao final da temporada. Nós queremos ser competitivos com todo mundo, Inter, Juve e todos os outros. Contudo, eu não posso tirar quaisquer conclusões hoje. O meu é um time que eu realmente gosto em termos de qualidade, caráter e personalidade. Nós crescemos no último período”, disse o treinador. “A próxima rodada parece favorável para nós, mas o Cagliari se fortaleceu muito e é um time em uma boa fase. A liga italiana é sempre complicada”.

Milan

O treinador foi perguntado sobre a situação do Milan, com o técnico Marco Giampaolo pressionado depois de derrota diante do rival da cidade, Internazionale, em clássico no fim de semana. “Eles não estão em boa forma, eles são um time ainda procurando por uma identidade precisa e quando você está no meio do caminho, é complicado”, disse Ancelotti. “As coisas não acontecem naturalmente, apesar da sua vontade. É preciso paciência, um novo técnico chegou com diferentes ideias e novos jogadores que ainda não foram integrados”.

Roma

“A Roma pode voltar à corrida pelo título. Fonseca é um grande técnico, com algumas ideias interessantes. Ele trouxe vigor e entusiasmo a um time jovem. Está e talvez o momento da velha guarda: Llorente, Dzeko, Ribéry, Ronaldo…”, contou o técnico.

Racismo

Um dos temas mais falados na Itália no momento é sobre a questão do racismo no país, com torcedores repetidamente cometendo atos racistas contra os jogadores. No fim dde semana, o árbitro Ddaniele Orsato suspendeu o jogo entre Fiorentina e Atalanta depois que o brasileiro Dalbert avisou o árbitro sobre receber insultos racistas.

“Eu não sei por que nós estamos assim… Nós temos que andar para frente. Ontem Orsato fez bem em suspender o jogo, é um passo adiante e haverá outros”, disse Ancelotti. “Nós precisamos seguir essa linha. Como [Gianni] Infanto, eu também direi ‘é o bastante’. Nós precisamos ser mais duros em aplicar as regras que existem. Nós temos a vantagem que há muitas câmeras no estádio, então nós precisamos intervir mais”.

Serie A

“Se os times italianos querem crescer, a marca da Serie A precisa melhorar. Antes era a melhor e mais vendida liga no exterior, mas foi superada pela Premier League. A qualidade da Serie A precisa melhorar, não apenas do ponto de vista técnico, mas também em termos de estádios, por exemplo. Há públicos melhores nesta temporada e eu espero que nós possamos eliminar os incidentes de racismo”.