Com o meio-campo que agora tem à disposição, não há desculpa para Richarlison e Dominic Calvert-Lewin não marcarem 20 gols cada um nesta temporada, segundo o treinador Carlo Ancelotti, que acrescentou que ele próprio colocaria umas bolas nas redes se estivesse no ataque do Everton.

Ancelotti provavelmente se refere à sua versão atual de 61 anos e não ao excelente meio-campista multicampeão pela Roma e pelo Milan, também integrante da seleção italiana, e que, embora mais defensivo, fazia um golzinho a cada 10 ou 15 jogos, aproximadamente.

“Se eu jogasse como atacante e tivesse atrás de mim James (Rodríguez), Sigurdsson e (André) Gomes, eu faria gols, então eles têm que fazer também”, disse Ancelotti. “Eu acho que James ajudará os atacantes porque ele é fantástico nas assistências. O objetivo para Dominic é que ele faça 20 gols porque ele tem qualidade e habilidade, como Richarlison”.

“Com James em Madri, Ronaldo fez 56 gols (nota do editor: na verdade, 61 na primeira temporada de James pelo Real Madrid). Eu não vou pedir que Dominic faça 56 gols, mas ele tem que fazer o seu melhor. Temos dois fantásticos atacantes e atrás deles James e Sigurdsson. Eu acho que se eles não fizerem 20 gols cada um, eles terão um problema comigo”, continuou.

“Eu disse a eles: ‘Vocês têm que fazer 20 gols cada, pelo menos’ e espero que Moise (Kean) também, ele tem essa possibilidade. Ele jogou todas vezes e fez dois gols”, afirmou, em relação ao jovem italiano que marcou duas vezes pela Copa da Liga Inglesa. Richarlison abriu sua contagem também nessa competição, com dois gols diante do Fleetwood Town.

O brasileiro anotou 15 tentos na última temporada. Calvert-Lewin também fez 15 e cresceu de produção depois da chegada de Carlo Ancelotti. Ele tem quatro na atual temporada, em duas rodadas da Premier League. James Rodríguez até agora deu apenas uma assistência direta, embora tenha comandado o meio-campo do Everton nos quatro jogos em que o time marcou 14 vezes.

.