O lance que mais causa discussão no Brasil 1×1 Suíça é o gol de Steven Zuber. Há uma clara contestação sobre o contato com Miranda, e o debate é pertinente, ante a interpretação do árbitro. Entretanto, vale olhar além e tentar entender também o que aconteceu na movimentação que permitiu ao meio-campista suíço cabecear. No lance, há uma evidente marcação mista – alguns jogadores posicionados por zona e outros teoricamente acompanhando os principais adversários. E que, de qualquer forma, há o espaço na pequena área para o suíço subir.

Zuber começa a jogada no segundo pau, fora da pequena área, próximo a Willian. Passa por trás do ponta e caminha lentamente por outras zonas, ao lado de Danilo e Thiago Silva, sem bloqueios. Então, encontra o clarão pelo centro, fazendo o contato com Miranda, que também percebe o adversário e estica o braço para trás, enquanto o escanteio cobrado por Shaqiri vem na direção da pequena área. Além de Zuber, Haris Seferovic também tem liberdade um pouco mais atrás, até ser acompanhado por Willian. A bola passa por Casemiro. Então, acontece a cabeçada.

Na coletiva após a partida, Tite comentou o lance. Preferiu negar uma falha de marcação: “Aceito falar de todos os outros gols de cabeça que levamos, o de hoje não. Foi notório o empurrão. Não foi posicionamento, foi falta. Tomamos seis gols em 22 jogos. A bola parada na Copa beirou nesses primeiros jogos 45% dos gols. Mas desse gol não aceito a observação”.

As imagens, de qualquer maneira, permitem a análise – que certamente será feita pela comissão técnica, independentemente da infração ou não, levando em conta o que se treina. Abaixo, reproduzimos um vídeo com uma tomada aérea, que mostra a trajetória de Zuber. Além disso, cinco quadros com os movimentos do suíço antes da cabeçada.