Matt Eliason era um fenômeno do time de futebol da universidade. Mas, ao invés de tentar a sorte como jogador profissional, o maior artilheiro da história do Northwestern Wildcats preferiu se agarrar ao diploma e seguir a carreira como analista financeiro. Uma escolha que, no entanto, não tirou do americano a chance de brilhar entre as maiores estrelas do esporte, incluindo Lionel Messi.

A história com contornos de enredo de filme hollywoodiano aconteceu em Chicago, no último sábado. Eliason foi convidado a atuar na partida festiva entre os “Amigos de Messi” e o “Resto do Mundo”. Após o cruzamento de Thierry Henry, o amador matou a bola no peito e emendou uma bicicleta indefensável, anotando o gol mais bonito do amistoso.

Outros oito ex-jogadores do Northwestern Wildcats também estiveram em campo no Soldier Field, convidados após vários “amigos” de Messi recusarem o convite. Técnico da universidade, Tim Lenahan comandou Santiago Solari nos tempos em que o ex-jogador do Real Madrid e da Internazionale ainda estava no colégio.

“Uma vez que a bola estava no ar, eu pensei que poderia fazer o melhor possível para agradar os torcedores. Não é todos os dias que você joga ao lado Messi. Então eu tentei e, felizmente, o melhor aconteceu”, declarou Eliason, sobre o lance de efeito. O suficiente para, quem sabe, deixar de lado seu emprego na GE Capital e calçar as chuteiras novamente.