A memória de Bradley Lowery se preservará no futebol inglês por muitos anos. O garotinho, mascote do Sunderland e da seleção, deu uma lição de vida durante sua luta contra um neuroblastoma – tipo raro de câncer que o afetava desde 2013. Apesar da curta passagem pelo plano terreno, o menino deixou uma porção de admiradores e amigos. Em especial, Jermain Defoe, o ídolo que virou protetor e o acompanhou em campo tantas vezes, além de visitá-lo constantemente no hospital. O veterano não esconde a marca profunda que o saudoso companheiro deixou em sua forma de ver o mundo. Algo agora gravado na pele, com uma tatuagem em tributo a Bradley.

Atualmente defendendo o Bournemouth, Defoe aproveitou a pausa na Premier League para fazer a tatuagem. Gravou o nome “Brads” no punho, além de planejar a adição de nuvens e estrelas no entorno da escrita. “Obviamente, essa tatuagem é algo importante no qual vinha pensando por um tempo, por razões óbvias. Minha relação com Bradley significa muito para mim. Não importa o que acontecerá, acho que sempre posso olhar para a tatuagem e isso vai me tocar um pouco”, declarou o atacante.

Defoe esteve presente no enterro de Bradley, ocorrido em julho de 2017, ao lado de outros milhares de torcedores de toda a Inglaterra. Na época, diante da notícia, o atacante não conteve as lágrimas ao comentar a perda durante coletiva de imprensa. Além disso, escreveu uma belíssima mensagem em suas redes sociais: “Adeus, meu amigo, eu vou sentir muito a sua falta. Eu me sinto muito abençoado por Deus tê-lo trazido para minha vida e tive alguns momentos incríveis com você e sou grato por isso. Eu nunca vou esquecer a maneira como você olhou para mim quando nos conhecemos pela primeira vez, o amor genuíno naqueles olhos doces”.

“Estou realmente tendo dificuldades para encontrar as palavras para expressar o que você significa para mim. O jeito como você dizia meu nome, seus pequenos sorrisos quando as câmeras apareciam, como se fosse uma super-estrela, e o amor que eu sentia quando estava com você. Sua coragem e bravura continuarão a me inspirar pelo resto da vida. Você nunca vai saber a diferença que fez para mim, como pessoa. Que Deus o tenha em seus braços e vou sempre carregá-lo em meu coração. Durma bem, pequenininho. Meu melhor amigo”, complementou.

Por conta de sua amizade com Bradley, Defoe recebeu diferentes homenagens nos últimos meses e sempre exaltou a personalidade do garoto. Além disso, prestou tributo no dia em que o menino completaria sete anos de idade. O atacante mantém uma relação próxima com a família de Brads, que hoje possui uma fundação para levantar fundos e ajudar outras crianças que igualmente lutam contra doenças graves. A solidariedade prevalece.