O desafio era difícil, mas a vontade de superá-lo era maior ainda. Diante da sua torcida, e de volte à primeira divisão, uma vitória sobre o invicto Cruzeiro passaria uma forte mensagem de que o América Mineiro não disputará o Campeonato Brasileiro a passeio. Defendendo bem e criando várias ameaças ao goleiro fábio, o Coelho venceu a primeira partida da semifinal por 2 a 0 e saiu na frente por uma vaga na decisão do Campeonato Mineiro. A volta será no próximo domingo, no Mineirão.

LEIA MAIS: Ex-jogadores de Cuca explicam por que ele é um técnico que vai muito além do Galo Doido

Sem exatamente brilhar, o Cruzeiro havia feito uma bela primeira fase de estadual, com nove vitórias e dois empates. A única derrota do ano saiu na Primeira Liga, para o Fluminense. Começou em cima do América, com mais posse de bola, obrigando o adversário a recuar e se defender. Mas criou pouco, apesar do domínio. Rafael Silva chegou a abrir o placar, em falta cobrada por Arrascaeta na área, mas o árbitro marcou impedimento.

O América-MG abriu o placar, também em uma bola parada. Tiago Luís bateu falta da intermediária, Sueliton, da entrada da área, desviou de cabeça para trás, e Adalberto apareceu livre para finalizar e fazer 1 a 0.

O segundo tempo foi mais movimentado, e o Cruzeiro quase abriu o placar logo aos 3 minutos, com Élber, mas a tentativa de tocar na saída de João Ricardo foi exagerada, e a bola acabou saindo. A partir desse lance, as principais ações ofensivas foram do América, e Fábio salvou pelo menos três, em rebote de Bryan e duas finalizações de Victor Rangel, uma delas de bicicleta. Aos 31 minutos do segundo tempo, o contra-ataque mortal. Pablo subiu pela direita, sozinho, e cruzou na segunda trave. Victor Rangel apareceu para dar números finais à partida.

Como fez a melhor campanha da primeira fase, o Cruzeiro tem o luxo de jogar por dois resultados iguais, o que significa que uma vitória por 2 a 0 no Mineirão ainda classifica a Raposa para a decisão. No entanto, o America construiu uma boa vantagem para defender no jogo de volta. Pode empatar ou até perder por um gol de diferença para fazer a final.