América do SulCopa do Mundo

Pinilla levará o chute na trave do Brasil pelo resto de sua vida, na cabeça e nas costas

As tatuagens sempre foram uma obsessão de Mauricio Pinilla. O gol que ele perdeu aos 14 minutos do segundo tempo da prorrogação contra o Brasil, acertando no travessão o chute que faria do Chile o autor do Mineirazo, tem tudo para se transformar em outra. Então, nada mais natural que o atacante resolvesse juntar as duas coisas.

LEIA MAIS: A recepção digna de campeões ressalta a grandeza do Chile de Sampaoli

Logo em seu primeiro dia em casa depois da Copa, Pinilla resolveu fazer uma tatuagem do seu chute. Ele ainda incluiu, em inglês, o título “Um centímetro da glória”. Assim, o lance ficará na sua memória para sempre, e também nas suas costas. O que não parece ser um problema. Ser o responsável por acertar a trave pode ser visto como um fracasso, um erro de finalização, mas o atacante do Cagliari parece encarar com orgulho.

Melhor assim. O Chile não precisa ter o seu Barbosa.

Mostrar mais

Ubiratan Leal

Ubiratan Leal formou-se em jornalismo na PUC-SP. Está na Trivela desde 2005, passando por reportagem e edição em site e revista, pelas colunas de América Latina, Espanha, Brasil e Inglaterra. Atualmente, comenta futebol e beisebol na ESPN e é comandante-em-chefe do site Balipodo.com.br. Cria teorias complexas para tudo (até como ajeitar a feijoada no prato) é mais que lazer, é quase obsessão. Azar dos outros, que precisam aguentar e, agora, dos leitores da Trivela, que terão de lê-las.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo