Brasileirão Série ALibertadores

Fluminense vê John Kennedy ir de problema a solução em nova fase na carreira

Xodó de Diniz, torcida e veteranos, atacante deixa problemas extracampo para trás e se transforma em arma importante no Tricolor

Mais do que os dois gols nos últimos dois jogos, John Kennedy vive uma nova fase na carreira. Depois de subir aos profissionais e conviver com polêmicas extracampo, o jogador de 21 anos deixou de ser problema e virou solução para a falta de agressividade do Fluminense no ataque — como na vitória sobre o Argentinos Juniors, que classificou a equipe para as quartas de final da Libertadores.

O atacante explodiu de maneira inesperada ainda em 2021. Logo em sua estreia, o jogador balançou as redes e ajudou o Flu a conquistar um empate em jogo que parecia perdido.

O que também já foi dado como perdido foi o próprio John Kennedy.

As propostas da Europa e da MLS por pouco não levaram o jogador logo que saiu das divisões de base. Detalhes que não se ajustaram, inclusive, abalaram o jovem, que teve muitos episódios de mau comportamento na carreira. O excesso fez a diretoria afastá-lo em 2022.

Em 2023, entretanto, tudo mudou. Além dos gols, a capacidade de fazer mais de uma função e a vontade agradam o torcedor. O jogador, hoje, é visto como um exemplo no CT Carlos Castilho.

— O homem John Kennedy é uma linda transformação —  resumiu Paulo Angioni à Trivela.

“Carrasco” do Flamengo, John Kennedy é um dos xodós da arquibancada. Antes de balançar as redes na noite de terça (8), teve seu nome gritado no banco de reservas.

John Kennedy já marcou 13 vezes pelo Fluminense sobre o Flamengo desde as divisões de base em Xerém - Foto: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.
John Kennedy marcou 13 vezes pelo Fluminense sobre o Flamengo desde as divisões de base – Foto: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE FC

Carinho que também ajuda no amadurecimento do jogador, agora com 11 gols em 59 partidas pelo Fluminense — ele anotou seis vezes em 11 jogos pela Ferroviária no Paulistão deste ano.

Jogador vira ‘projeto pessoal' para Diniz e diretoria

Com uma trajetória difícil fora dos campos, John Kennedy virou um verdadeiro projeto não só para o Fluminense, mas para o técnico Fernando Diniz e a diretoria.

— Da minha parte vou fazer o máximo que puder por ele. É um grande talento e mais um daqueles jogadores, que, por trás, tem uma história de vida que, no futebol, ao invés da gente acolher a pessoa como um todo, a gente acolhe só o jogador. Essa é uma falha gigantesca que tem no futebol brasileiro. Já perdemos muitos John Kennedys por aí e continuamos perdendo. Eu vou fazer de tudo para ajudá-lo para ele poder ter uma vida digna no futebol. Principalmente quando parar, para que ele viva daquilo que construiu no futebol. Essa é a minha intenção com ele — afirmou Diniz em 2022.

Após o empréstimo para a Ferroviária, o atacante teve uma reunião privada no CT Carlos Castilho.

John Kennedy voltou a ouvir do diretor executivo Paulo Angioni e do técnico Fernando Diniz que ninguém desistiria dele no clube. Bastava ele mesmo acreditar. O jovem afirmou que o período em Araraquara tinha sido decisivo, de muito amadurecimento, e que daria a resposta no dia a dia.

O presidente Mario Bittencourt é outro entusiasta do jogador. A diretoria já negou propostas de compra de outros times do Brasil, e não pensa em negociá-lo nesse momento. A multa rescisória para o mercado internacional é alta: € 50 milhões de euros (R$ 269 milhões na cotação atual), e o Tricolor detém 60% dos direitos econômicos do atleta.

Exemplo no dia a dia e ‘queridinho' dos veteranos

Se nos últimos anos se envolveu em polêmicas como uma live na madrugada com uma dançarina à uma fratura no pé disputando uma pelada, além de fotos em um baile funk em Itaboraí, mesma cidade onde teve seu carro apreendido pela Polícia Militar com drogas e sem carteira de habilitação do motorista — ele não estava no veículo —, John Kennedy mudou da água para o vinho.

O jovem passou a seguir à risca um dos “mandamentos” de Diniz: sem sacrifício, não há vitória. É um dos primeiros a chegar nos treinamentos, e se dedica em todas as atividades. Não à toa, voltou do Paulistão “furando a fila”. O ganho de massa muscular é notório no jogador, que saiu franzino de Xerém e hoje é um dos mais fortes do elenco.

— John é um supertalento, tem muitas características positivas, está cada dia crescendo e evoluindo. Ele não é mais o mesmo jogador que vocês conheceram tempos atrás. Ele está uma pessoa muito mais evoluída, consciente, cumpridor de horário. Estou muito feliz com tudo que está acontecendo com ele desde que voltou da Ferroviária — afirmou Fernando Diniz após a vitória sobre o Palmeiras.

Mas John Kennedy também evoluiu tecnicamente em atividades específicas com a ajuda da comissão técnica e dos experientes Alan e Germán Cano, principalmente nos treinos de finalização.

Os mais experientes abraçaram a mudança do jogador. No dia a dia, além de Fred, que foi seu companheiro, jogadores como Fábio, Felipe Melo e Marcelo demonstram apoio e carinho ao atacante. O lateral-esquerdo, inclusive, “previu” o gol de John Kennedy sobre o Argentinos Juniors na Libertadores.

Relacionamento e filhos ajudam em mudança de mentalidade

Pai de dois filhos — Davi Lucas, de dois anos, e Vallentina, de 11 meses —, o atacante engatou um relacionamento sério com a empresária Viviane Barros, o que também ajudou a mudar o foco.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por John Kennedy (@jkennedy)

Em entrevista recente à FluTV, John Kennedy destacou que a principal mudança que teve foi de mentalidade.

— A maior mudança foi de cabeça. Muita gente conversava comigo para ter constância. Hoje consigo entender que tenho que ter constância, que a minha vida é o futebol. A cabeça vai mudando aos poucos, as prioridades mudam — disse o jovem.

Fluminense na Libertadores 2023

  • Classificado às oitavas de final no 1º lugar do grupo D com 10 pontos
  • 55% de aproveitamento na fase de grupos
  • Bateu o Argentinos Juniors nas oitavas de final — placar agregado 3 x 1.
  • Aguarda Flamengo ou Olímpia (PAR) nas quartas de final

Fluminense no Brasileirão 2023

  • 3ª colocação após 18 jogos disputados
  • 57% de aproveitamento até o momento
  • 31 pontos conquistados com 9 vitórias, 4 empates e 5 derrotas
Foto de Caio Blois

Caio Blois

Caio Blois nasceu no Rio de Janeiro (RJ) e se formou em Jornalismo na UFRJ em 2017. É pós-graduado em Comunicação e cursa mestrado em Gestão do Desporto na Universidade de Lisboa. Antes de escrever para Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo