América do Sul

Entenda a versão rancorosa de “Decime que se siente” para o Chile na Copa América

Uma das músicas que mais marcou a Copa de 2014 foi a provocação argentina “Decime que se siente” – que até inspirou os brasileiros a criarem “Mil gols”. Pois a canção, que já é tradicional entre os clubes latinos, volta com uma versão diferente para a Copa América. Desta vez provocando os próprios donos da casa, os chilenos. E longe de ser apenas uma tiração de sarro meramente esportiva. Os argentinos apelam para um ranço político e histórica, na letra bem mais maldosa do que a dedicada aos “brasileños”.

VEJA TAMBÉM: Chile cria memorial no Estádio Nacional para não se esquecer do passado sangrento

A nova versão da música faz referência à postura do Chile na Guerra das Malvinas. Por mais que ambos os países vivessem ditaduras militares na época, parte da Operação Condor, os chilenos optaram por apoiar o Reino Unido. O motivo estava nas próprias tensões vividas entre os vizinhos, em litígio pelo Estreito de Beagle mediado pelo Papa João Paulo II. Além disso, a postura dos britânicos ao lado de Pinochet naquele momento acabou retribuída. O tratado de paz só viria a ser assinado em 1984.

Assim, o ressentimento dos argentinos continua. E não só fala do posicionamento do Chile, como também ataca na ferida ao desejar um “tsunami” no país, como o ocorrido em 2010. Confira a letra original e a tradução, feita pelo O Canto das Torcidas – ótima página no Facebook sobre cultura de arquibancada.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo