Apenas 189 quilômetros separam Londres de Norwich, onde o Arsenal enfrenta o time da casa, no próximo domingo. De carro, pelas estradas inglesas, o deslocamento dura duas horas e meia. De trem, aproximadamente duas horas. De avião, apenas 14 minutos, mas ninguém colocaria um trambolho desses no ar e gastaria muito combustível para viajar por tão pouco tempo, certo? Certo, Arsenal?

LEIA MAIS: Sem poder de decisão, Arsenal tem tropeço que candidatos ao título não podem ter

Errado. Em 2012, o Arsenal já fez essa viagem de avião e planeja repeti-la no sábado à noite, de acordo com a agência Press Association. O elenco sairá do aeroporto de Luton, a 20 minutos de carro do centro de treinamento do clube, em Hertfordshire. Fará check-in, check-out, subirá no avião e prestará atenção na aeromoça. Só o vídeo de instruções deve demorar um terço da viagem.

Logo, os ambientalistas estão um pouco bravos com o Arsenal, e essa insatisfação foi expressada pela porta-voz da Plane Stupid, Ella Gilbert, uma organização que critica o uso desnecessários de naves aéreas. “Tendo vivido em Norwich e em Finsbury Park (bairro próximo ao Emirates), posso dizer que essa distância é facilmente percorrida em duas horas de trem, sem prejudicar ainda mais as mudanças climáticas. Isso é ridículo”, disse, segundo o Evening Standard.

Ah, sim, Ella Gilbert torce para o Arsenal. “Sou fã dos Gooners a minha vida inteira, então estou acostumada a ser ocasionalmente envergonhada pelo meu time, mas prefiro que eles esperem a bola rolar antes de humilhar os torcedores. Não voem para Norwich, os Canários não merecem isso”, arrematou.

Em 2012, Wenger justificou a decisão de usar o avião porque não havia trens disponíveis. “Decidimos voar porque teríamos que dirigir na sexta-feira à tarde, em um momento em que você nunca sabe quanto a viagem pode durar”, afirmou. O clube acrescentou que tomou essa decisão por causa de problemas com as linhas ferroviárias durante o fim de semana e que a opção mais eficiente seria voar.