Sardar Azmoun não se destacou na Copa do Mundo como muitos apostavam, mas ainda assim foi um dos protagonistas na campanha digna do Irã rumo à Rússia. O atacante de 23 anos teve papel decisivo nas Eliminatórias, mas não conseguiu balançar as redes no Mundial, apesar de sua importante participação no ataque. Entretanto, além da eliminação, sua passagem pelo torneio se encerra em frustração. O jovem foi alvo de desleais ataques nas redes sociais. Mais do que criticado, foi ofendido por não ter ajudado diretamente o Team Melli na competição. Por isso, anunciou sua aposentadoria da equipe nacional, apesar do futuro que teria pela frente com os persas.

“Minha mãe havia superado uma doença grave e eu estava feliz. Infelizmente, por causa da falta de gentileza de algumas pessoas e dos insultos a mim e aos meus companheiros, de uma maneira como não merecíamos, a doença dela regrediu. Isso me deixou em uma posição difícil, em que preciso escolher uma coisa ou outra. Eu escolho a minha mãe”, explicou o jovem. “Não vamos julgar os outros sem conhecê-los. Quem sabe do gosto amargo por trás dos meus sorrisos? Também desejo saúde à Alireza Jahanbakhsh e à sua mãe, que também teve uma doença grave. Ele foi quem mais me ajudou durante os momentos difíceis, obrigado pela amizade. Amo você, mãe. Desejo a saúde para todas as mães”.

“A Copa do Mundo é o desejo de todo jogador. Com todo nosso esforço, eu e meus companheiros ganhamos a chance, mas com nosso empenho indomável e as orações de milhões de iranianos, não fomos apreciados por todos. Foi uma grande honra para mim defender a seleção e terei orgulho disso até o fim da minha vida. Infelizmente, ao contrário do que diz meu coração, eu decidi dizer adeus à equipe nacional. É definitivamente a decisão mais dolorosa a um jovem de 23 anos que superou dificuldades para chegar até lá”, complementou.

Convocado à seleção desde outubro de 2013, Azmoun não disputou a Copa de 2014, mas se tornou um jogador fundamental desde então. Anotou 23 gols em 36 partidas pelo Team Melli, incluindo 11 tentos em 14 aparições nas Eliminatórias. Apesar da pouca idade, é o quinto maior artilheiro da história da equipe nacional. Desde a temporada 2017/18, o atacante atua pelo Rubin Kazan.