Diante da SPAL, antepenúltima colocada do Campeonato Italiano, jogando em seu San Paolo, era altamente provável que o Napoli recuperasse a liderança do Campeonato Italiano, em sua disputa particular pelo título com a Juventus. Foi exatamente o que aconteceu: os Partenopei fizeram 1 a 0, e até poderiam ter placar mais dilatado a favor, tal a superioridade. E nessa atuação, um jogador se sobressaiu: Allan.

A rigor, o primeiro gol napolitano já poderia ter vindo até antes de quando veio. Logo no segundo minuto de jogo, Lorenzo Insigne levantou a bola – e quase que o cruzamento virou gol, passando perto da trave esquerda defendida por Alex Meret. A chance foi ainda maior aos quatro minutos, quando Insigne chegou à área e bateu colocado, mandando a bola na trave e fazendo Meret se virar rapidamente para ainda agarrá-la. Numa típica troca de passes dos Partenopei desta temporada, enfim a bola foi às redes, aos sete minutos. Allan começou e terminou a jogada: o brasileiro iniciou a tabela com Jorginho, Dries Mertens e José María Callejón, recebendo do espanhol já na área e tocando na saída de Meret para o merecido 1 a 0.

O segundo gol quase veio aos 10 minutos: na esquerda, Marek Hamsik recebeu e já cruzou para o voleio de Callejón, forçando a defesa de Meret. Com Allan coordenando a saída de bola, o Napoli chegava muitas vezes para tentar a finalização – como aos 25 minutos, num chute de Dries Mertens para nova defesa de Meret, espalmando, e aos 26, quando Mario Rui arrematou para fora. Só aos 43 minutos a SPAL tentou algo, com Federico Viviani arriscando para a defesa de Pepe Reina.

No segundo tempo, o domínio dos Partenopei seguiu intacto. E a boa atuação de Allan, também: foi o camisa 5 quem roubou a bola no meio, lançando Mertens, para que o belga batesse e forçasse Meret a fazer nova defesa, aos 14 minutos. Aos 18, Allan chegou até a participar de outra jogada que terminou em gol, cruzando para Hamsik marcar de cabeça – mas o juiz anulou, alegando impedimento do meio-campista eslovaco. Sem problemas: pelo que se viu em campo, de fato, era muito difícil que o Napoli fraquejasse na manutenção de sua equipe à liderança da Serie A.