Dentre os grandes recordes estabelecidos no futebol internacional, Ali Daei parecia dono de uma marca praticamente inalcançável. Em 13 anos defendendo a seleção do Irã, o centroavante anotou 109 gols oficiais. Não apenas superou o sarrafo anterior, 85 tentos de Ferenc Puskás, como também o pulverizou. Além de ambos, nenhum outro jogador na história do futebol de seleções havia superado os 80 gols internacionais. Desde 2018, porém, eles têm a companhia de Cristiano Ronaldo no pódio. E o português parece pronto a desafiar o trono de Daei.

Cristiano Ronaldo ultrapassou Puskás durante a Copa do Mundo de 2018, em seu caminhão de gols durante a fase de grupos. No entanto, a fome do camisa 7 continua enorme e a tranquilidade dos compromissos nas eliminatórias europeias contribui para ampliar seus números. Depois de mais três gols na fase final da Liga das Nações de 2019, Ronaldo anotou outros cinco contra Sérvia e Lituânia nesta Data Fifa. São 93 tentos, 16 a menos que Daei. Nenhum outro jogador em atividade passa dos 72 gols. Se mantiver o ritmo, é bem capaz que CR7 alcance o iraniano.

E o mais legal nessa história toda é a postura de Ali Daei, ante a ameaça de Cristiano Ronaldo. O iraniano poderia ficar enciumado por seu recorde. Não é o que acontece. Em entrevista ao jornal A Bola, o veterano falou sobre a aproximação e acredita que o lusitano tem todas as condições de se tornar o maior artilheiro da história do futebol de seleções.

“Sim, acho que Ronaldo vai bater o meu recorde. É um grande jogador, sem dúvida, e parece-me que vai acontecer”, apontou Daei, antes de mostrar total consciência sobre a efemeridade dos números. “É futebol, faz parte. Todos os recordes existem para um dia serem batidos. Além do mais, estamos falando de um grande jogador”. Dono de muita presença de área, o iraniano se valia da boa estatura e da precisão nos arremates para acumular seus gols. O ápice de sua carreira aconteceu na Alemanha, onde defendeu Bayern de Munique, Hertha Berlim e Arminia Bielefeld. Além disso, também foi ídolo do Persepolis, um dos principais clubes de seu país.

Ali Daei, inclusive, foi testemunha ocular do primeiro gol de Cristiano Ronaldo em Copas do Mundo. Ele estava no banco do Irã quando sua seleção encarou Portugal na fase de grupos. Viu o jovem fechar a vitória dos tugas por 2 a 0, com uma cobrança de pênalti. “A gente se cruzou duas ou três vezes nas festas da Fifa. Que ele continue a jogar bem, a marcar gols e que tudo corra bem na vida dele”, finalizou Daei.

Ali Daei possui uma média de gols maior que a de Cristiano Ronaldo. Enquanto o iraniano precisou de 149 jogos para anotar seus 109 gols, Cristiano Ronaldo chegou aos 160 duelos para balançar as redes 93 vezes. De forma parecida, ambos se valeram bastante dos compromissos pelas Eliminatórias para alavancar as marcas.

Dos 109 gols de Ali Daei, 36 foram por Eliminatórias da Copa do Mundo e 23 por Eliminatórias da Copa da Ásia. Também fez 27 em amistosos e 9 em Jogos Asiáticos. Seus gols mais expressivos aconteceram pela Copa da Ásia, 14 no total. Curiosamente, apesar de estar presente em dois Mundiais, passou em branco no principal torneio internacional. Em compensação, foram nove na campanha que classificou o Irã para a Copa de 1998, interrompendo um hiato de 20 anos sem que o país figurasse na competição da Fifa.

Cristiano Ronaldo possui 30 gols por Eliminatórias da Copa e 25 por Eliminatórias da Euro – na qual se tornou recordista nesta Data Fifa, ao superar o irlandês Robbie Keane. Também fez 17 em amistosos e possui números expressivos nos grandes torneios. São 9 na Eurocopa, 7 na Copa do Mundo, 3 na Liga das Nações e 2 na Copa das Confederações. Seus tentos são distribuídos entre 40 adversários diferentes, 29 deles membros da Uefa.

Os números de Cristiano Ronaldo se elevaram substancialmente nesta década. Até 2010, ele balançou as redes 25 vezes em 79 partidas pela seleção – média 0,32 por jogo. Desde 2011, foram 68 gols em 81 aparições por Portugal – média que subiu a 0,84 por jogo, superior à de Ali Daei e equivalente à de Pelé na seleção brasileira, mas ainda inferior à de Puskás. Além disso, desde 2016, o camisa 7 mantém uma média superior a um gol por jogo, com 38 tentos em 37 partidas pela Seleção das Quinas. Conquistou suas duas taças mais importantes no período.

Restam mais quatro jogos pelas Eliminatórias à Euro 2020 e Portugal possui condições de chegar longe na competição continental. Aos 34 anos, Cristiano Ronaldo também se mostra inteiro o suficiente para almejar ao menos mais uma Copa do Mundo, com outra jornada recheada nas Eliminatórias. Até 2022, terá compromissos o bastante para manter o recorde de Ali Daei na mira. Ao que parece, não é mais questão de “se”, e sim de “quando”.